Premium

Um em cada cinco doutorandos desiste após o primeiro ano

Um em cada cinco doutorandos desiste após o primeiro ano

Taxa de abandono nos doutoramentos é maior no privado do que no público. Nas licenciaturas, são mais os alunos que mudam de curso do que os que desistem.

Ao fim de um ano, um em cada cinco dos novos inscritos em doutoramentos tinham desistido do curso. De acordo com os dados divulgados pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), a taxa de abandono é maior nas universidades privadas, com um quarto a desistirem. Já no público, a percentagem de alunos inscritos no primeiro ano do doutoramento que desistiram passou de 18% para 20%, no ano letivo 2017/2018.

O documento da DGEEC mostra, ainda, que no período em análise estavam inscritos 4891 novos alunos em doutoramentos, a larga maioria (91%) em universidades públicas. O que está associado, explica ao JN Alberto Amaral, investigador em políticas de Ensino Superior, "à menor atividade em investigação - vejam-se os resultados da avaliação de centros de investigação pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), com cerca de 50% "fraco" e ainda que os centros do privado são menos de 10% do total".