Incêndios

Um foco ativo na Calheta, seis meios aéreos no Alto Minho

Um foco ativo na Calheta, seis meios aéreos no Alto Minho

Esta sexta-feira ao final da manhã, um foco de incêndio ativo no concelho da Calheta, na parte oeste da ilha da Madeira. Em território continental, mais de 600 operacionais e seis meios aéreos combatem fogos no Alto Minho.

Cerca de 640 operacionais, apoiados por 222 viaturas e seis meios aéreos, combatiam às 12.51 horas os três incêndios ativos no distrito de Viana do Castelo, sendo o "mais preocupante" de Argela, Caminha, disse a Proteção Civil.

Contactado pela agência Lusa, o comandante dos Bombeiros de Caminha, Luís Saraiva, afirmou que há "três frentes ativas, que ardem com média intensidade, mas que não estão a ameaçar habitações".

Aquele responsável afirmou que as freguesias afetadas pelas três frentes de fogo são as de Vila Praia de Âncora, Venade/Argela e Azevedo.

"Se tudo continuar a correr como até aqui espero ter o fogo dominado durante o dia de hoje. Tenho os meios suficientes posicionados e estou confiante que hoje vamos dominar o fogo", sustentou.

Pelas 14 horas, lavravam cinco fogos no distrito de Braga, combatidos por 78 operacionais, apoiados por 22 veículos e por um meio aéreo.

As estradas nacionais (EN) 230 e 326, ambas na localidade de Igreja, no concelho de Esposende, e 328, na localidade de Dornelas, no concelho de Amares, encontram-se condicionadas ao trânsito devido a incêndios, anunciou a GNR.

PUB

Um foco de incêndio na Calheta

Na Madeira, às 11.40 horas, 48 efetivos de quatro corporações da região (Calheta, São Vicente e Porto Moniz, Ribeira Brava e Voluntários Madeirenses), apoiados por 77 operacionais da Autoridade Nacional de Proteção Civil, combatiam um foco de incêndio ativo no concelho da Calheta, na zona da Moleira/Fonte do Bispo.

No combate a este fogo, que lavra desde terça-feira às 15 horas, estão envolvidos 16 veículos e máquinas de rasto.

A Proteção Civil lembra que para domingo está prevista a continuação de dias quentes na costa sul da ilha da Madeira, devendo as temperaturas atingir os 29/31 graus.

Na costa norte, nas regiões montanhosas e em Porto Santo as máximas previstas "não deverão ultrapassar os 25/26 graus".

Segundo a informação do Serviço Regional de Proteção Civil na Madeira (SRPC), a partir do fim da tarde de sábado poderá ocorrer um aumento da intensidade do vento, que poderá ser moderado (20 a 30 quilómetros/hora) e moderado a forte (30 a 40 quilómetros/hora) nas regiões montanhosas, nas pontas leste e oeste da Madeira e em Porto Santo. Esta situação deverá manter-se até ao final da manhã de terça-feira (dia 16).

"As condições meteorológicas previstas para os próximos cinco dias enquadram-se nas condições climatológicas típicas do arquipélago da Madeira, para esta época do ano", conclui a nota.

A ilha da Madeira foi fustigada por incêndios que deflagraram na segunda-feira na freguesia de São Roque, no Funchal, e se alastraram a outras localidades do concelho e, em menor dimensão, a outros municípios.

O cenário foi potenciado pelas condições climatéricas adversas (vento forte e temperaturas elevadas).

Os fogos provocaram três vítimas mortais, cerca de mil desalojados temporários, mais de duas centenas de habitações danificadas e avultados prejuízos materiais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG