O Jogo ao Vivo

Jogo

Um milhão de euros por dia em apostas no Placard

Um milhão de euros por dia em apostas no Placard

Nos primeiros cinco meses do ano (1 de janeiro a 31 de maio), os portugueses apostaram 161 milhões de euros no Placard, o mais recente jogo com a chancela da Santa Casa.

Em média, os portugueses gastaram mais de um milhão de euros (1 059 210 euros) neste portefólio: futebol, basquetebol e ténis. A instituição prepara agora a entrada numa área de negócio menos ortodoxa, por durante anos ter funcionado sem suporte legal: as apostas desportivas online. A candidatura para ganhar uma licença avança numa altura em que passa um ano sobre a entrada em vigor de legislação para o setor.

O nascimento do Placard, em setembro de 2015, cedo foi associado a uma espécie de teste ao modelo das apostas desportivas online, que ganhou regulação a 29 de abril do ano passado e cuja entrada em vigor aconteceu a 28 de junho de 2015. Se o foi, a prova foi superada.

Os portugueses realizaram mais de 48 milhões de apostas em cinco meses e o Placard roubou já o terceiro lugar da tabela ao Totoloto, tendo neste momento à sua frente apenas o Euromilhões e a Raspadinha, líder nos jogos sociais do Estado. Neste período, o jogo que mais atraiu apostas (vendas) foi o Benfica/F. C. Porto, da Primeira Liga, realizado em fevereiro passado. Um só jogo amealhou a quantia de 700 mil euros.

O Placard passou a representar 14,1% das vendas e, apesar das promessas de prémios individuais não serem as mais elevadas - a probabilidade de ganhar é maior, mas a quantia total a atribuir individualmente menor, como explica fonte dos Jogos Santa Casa -,distribuiu em cinco meses 106 milhões de euros em prémios. O valor bruto mais elevado foi de 19,8 mil euros.

Graças ao Placard, o Estado arrecadou mais de 6,9 milhões de euros, correspondentes ao Imposto do Selo aplicável sobre as vendas (4,5% incluídos no preço da aposta) e aos 20% sobre os prémios superiores a 5000 euros, como estipula a lei.

"O ganho máximo possível por combinação depende do montante base apostado, da modalidade de aposta e das quotas atribuídas aos prognósticos selecionados pelo apostador, sendo que a Santa Casa pode recusar apostas quando o ganho possível máximo de uma das combinações seja igual ou superior a 100 mil euros", explica o departamento de Jogos Santa Casa. A aposta mais baixa pode custar um euro.

PUB

Sobre os problemas dos menores apanhados a jogar Placard, avançado pelo "Jornal de Notícias" no início do ano, a Santa Casa explica que não tem havido queixas e aproveita para lembrar "que qualquer tipo de jogo a dinheiro deve ser vedado a menores. Muitas vezes, as pessoas não têm essa noção, mas uma Raspadinha também é um jogo a dinheiro. Os miúdos acham graça ao raspar, mas podem não perceber os contornos do jogo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG