Eleições

Um terço dos militantes em condições de votar a um mês das diretas do PSD

Um terço dos militantes em condições de votar a um mês das diretas do PSD

Pouco mais de 26 mil militantes do PSD, cerca de 31% do total, estão esta quinta-feira em condições de votar nas diretas de 4 de dezembro, com o prazo de pagamento de quotas a terminar em menos de duas semanas.

Por volta das 15.30 horas, de acordo com o site www.psd.pt, estavam pagas 26 044 quotas, cerca de 31% dos 83 040 militantes sociais-democratas ativos (que pagaram pelo menos uma quota nos últimos dois anos).

Sem surpresa, o maior número de quotas pagas regista-se na distrital do Porto (cerca de 18% do total), seguida da Área Metropolitana de Lisboa (muito próxima dos 18%), Braga (9%) e Aveiro (7,8%), mantendo-se como as quatro maiores estruturas do partido em número de quotas pagas.

Nas últimas diretas, em janeiro de 2020, numa inédita segunda entre Rui Rio e Luís Montenegro e com o novo regulamento de quotas que causou polémica, dos 40 628 militantes em condições de votar, fizeram-no 32 582, uma taxa de participação de cerca de 80%.

Em 2018, Rui Rio derrotou Santana Lopes numa eleição em que o universo eleitoral era de 70 692 militantes, mas em que acabaram por votar apenas 42 655 (cerca de 60% do total).

As eleições diretas para presidente da Comissão Política Nacional do PSD estão marcadas para 4 de dezembro (com uma eventual segunda volta no dia 11, caso nenhum dos candidatos obtenha mais de 50% dos votos, o que só poderá acontecer se existirem pelo menos três) e o 39.º Congresso agendado para entre 14 e 16 de janeiro no Centro de Congressos de Lisboa.

No próximo sábado, o Conselho Nacional do PSD reúne-se e tem na ordem de trabalhos uma proposta de conselheiros e dirigentes distritais que pretende antecipar a reunião magna para entre 17 e 19 de dezembro.

PUB

O prazo de pagamento de quotas termina em 17 de novembro e para apresentação de candidaturas em 22 do mesmo mês.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG