Exclusivo

Uma em cada cem crianças infetadas faz subir risco no Natal

Uma em cada cem crianças infetadas faz subir risco no Natal

Férias das escolas deviam ter sido antecipadas para evitar transmissão entre os 5 e os 11 anos, diz especialista.

Uma em cada cem crianças entre os 6 e os 11 anos está infetada com covid-19 e perto do Natal a incidência será maior, o que traz riscos acrescidos para os convívios familiares, adverte o matemático Carlos Antunes, considerando que as férias de Natal nas escolas deviam ter sido antecipadas uma semana em vez de prolongadas. Os mais pequenos, a quem a maior parte das medidas restritivas nunca foram impostas, devem agora usar máscara, fazer testes e evitar o contacto prolongado e muito próximo com os idosos.

Esta semana, o grupo dos 6 aos 11 anos está nos 1000 casos por 100 mil habitantes, adverte Carlos Antunes. O ritmo de crescimento está a desacelerar, mas é possível atingir os 1500 casos por 100 mil perto do Natal e o pico desta quinta onda da pandemia entre os dias 19 e 21 de dezembro, acrescenta o investigador da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa que tem colaborado com as autoridades de Saúde no controlo da pandemia. Aquela incidência já foi atingida em janeiro passado, período pautado por dezenas de surtos em escolas. É certo que a pausa escolar nas festas vai suspender a transmissão, mas "se tivéssemos antecipado as férias teríamos um melhor resultado", diz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG