Covid-19

"Uma pessoa só pode ser infetante horas antes de ter sintomas"

"Uma pessoa só pode ser infetante horas antes de ter sintomas"

Jaime Nina, infeciologista e professor na Universidade Nova de Lisboa, explica algumas das especificidades do novo coronavírus, o Covid-19.

É possível uma pessoa contrair o vírus num dia e no dia a seguir apresentar sintomas?
A resposta não é assim tão linear. A incubação varia consoante a inalação do vírus. A pessoa que inalar dez mil milhões de vírus tem um período de incubação mais curto do que aquela que só inalou três a quatro mil. Por outro lado, varia com a pessoa. Um jovem, em princípio, vai demorar mais tempo do que um idoso a ficar doente. O período médio de incubação ronda os quatro a cinco dias. Cerca de 90% têm um período entre dois a dez dias, 5% menos de dois dias e os outros 5% mais de dez dias. Já foi detetado em duas ou três pessoas um período de incubação de 24 horas e a uma outra de 24 dias. É raro, mas está dentro do possível.

Daquilo que se conhece do caso do escritor Luis Sepúlveda, é possível que possa ter sido infetado ou ter infetado alguém em Portugal?
É possível, mas não é provável. A pessoa que o infetou, neste momento, já deve ter sintomas. Se em Portugal ainda não houve nenhum caso, em quem é que ele se infetou? O mais provável é ter-se infetado antes de vir. Se contagiou alguém, é pouco provável, se os sintomas só se começaram a sentir no dia 25. Uma pessoa só pode ser infetante algumas horas antes de começar com sintomas. Não é dois ou três dias antes. Neste momento, não há nenhum caso em que isso tenha acontecido.

No caso do português Adriano Maranhão, que recebeu alta das autoridades de saúde no Japão, há algum cuidado a ter? Pode ocorrer uma recaída?
O nosso organismo, quando é afetado com um vírus, fabrica anticorpo e é por isso que as pessoas se curam. Mas isso demora algum tempo, talvez duas semanas, em média. Para haver um teste positivo, tem de haver vírus vivos na altura. O teste é negativo no período de incubação. Quando uma pessoa se cura, já não apresenta o vírus porque foi destruído pelos anticorpos e ficou imunizado. Uma das coisas que ainda não se sabe, o vírus só tem dois meses, é se esta infeção deixa sequelas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG