Nacional

Universidade de Coimbra premeia esforço pela paz de António Guterres

Universidade de Coimbra premeia esforço pela paz de António Guterres

Secretário-geral da ONU agraciado com a 19ª edição do Prémio da instituição.

António Guterres é o vencedor da edição de 2022 do Prémio Universidade de Coimbra, com a instituição a destacar os valores como a paz e a solidariedade social, embora lamente que os acontecimentos de ontem (início da guerra na Ucrânia) tenham dado ainda mais atualidade à distinção. O anúncio foi feito naquele que foi considerado pelo secretário-geral da ONU como "o momento mais triste nos cinco anos no cargo", devido ao eclodir do conflito na Ucrânia.

"O premiado tem-se destacado por valores como a paz e a solidariedade social, valores que foram agora postos em causa de forma dramática", salienta o vice-reitor para os Recursos Humanos da Universidade de Coimbra, Luís Neves. Ainda assim, completa que a eclosão do conflito não teve influência na decisão do júri, uma vez que esta foi um dia antes do início da guerra.

A escolha do júri foi unânime. "Trata-se de uma figura excecional, de alcance mundial, que, nos cargos de relevo nacional e internacional que tem desempenhado, ergue permanentemente a voz na defesa da sustentabilidade e da promoção da igualdade, causas nas quais a Universidade de Coimbra também está particularmente empenhada. Essa comunhão de visão, estratégia e ações leva-nos a acreditar que o engenheiro António Guterres é claramente merecedor desta distinção", justifica o reitor da Universidade de Coimbra e presidente do júri, Amílcar Falcão.

A cerimónia de entrega do Prémio está marcada para 1 de março, dia do 722º aniversário da Universidade de Coimbra. António Guterres, por indisponibilidade de agenda, não estará presente, devendo participar na cerimónia remotamente.

Instituído em 2004, o Prémio Universidade de Coimbra é apoiado pela Fundação Santander e pelo Jornal de Notícias. António Guterres sucede ao cardeal Tolentino de Mendonça, vencedor de 2021. Em anos anteriores, foram também premiados o atual presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, o ator e encenador Luís Miguel Cintra, o músico António Pinho Vargas e os já falecidos Julião Sarmento (artista plástico) e Maria de Sousa (cientista).

Dia triste e apelo emocionado

PUB

O anúncio do Prémio Universidade de Coimbra para António Guterres foi feito num dia marcado pelo início da guerra na Ucrânia. Na reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU, o secretário-geral afirmou tratar-se "do momento mais triste dos cinco anos de mandato", tendo feito um apelo ao presidente russo, Vladimir Putin.

"Em nome da humanidade, não permita que se inicie na Europa aquela que poderá ser a pior guerra desde o início do século, com consequências não só devastadoras para a Ucrânia, não só trágicas para a Federação Russa, mas com um impacto que nem sequer podemos prever em relação às consequências para a economia global", apelou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG