Exclusivo edição impressa

Universidade de Évora suspeita de falsear análises a derrame de petróleo

Universidade de Évora suspeita de falsear análises a derrame de petróleo

O Laboratório da Universidade de Évora fez análises à água, após derrame de fuelóleo, e não detetou poluição, mas um outro relatório concluiu que houve crime.

O Ministério Público (MP) de Setúbal está a investigar o Laboratório de Ciências do Mar (CIEMAR) da Universidade de Évora por causa de um estudo à qualidade da água, após um derrame de fuelóleo no Porto de Sines em outubro de 2016. Os resultados apurados pelo CIEMAR - financiado pela Administração do Porto de Sines - que ilibavam a empresa viriam a ser refutados por outro estudo, que apurou a existência inequívoca de poluição. A empresa responsável pelo derrame (MSC) foi acusada de crime ambiental e o laboratório está agora na mira da Justiça.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG