Covid-19

Vacinação em Portugal começa entre 27 e 29 de dezembro

Vacinação em Portugal começa entre 27 e 29 de dezembro

A ministra da Saúde, Marta Temida, anunciou, esta quinta-feira, que a vacinação para a covid-19 em Portugal vai começar entre 27 e 29 de dezembro.

Segundo Marta Temido, Portugal vai receber 9750 doses da vacina da Pfizer ainda este mês. Em janeiro chegarão cerca de 300 mil doses, com a ministra a estimar que no fim do primeiro mês de 2021 estejam administradas 312975 vacinas.

"A informação mais recente é dessa previsão de entrega ainda no mês de dezembro e, como já está também a ser comunicado pela Comissão Europeia, estima-se que o calendário de vacinação possa ser alinhado entre todos [os países da União Europeia] e possamos começar a vacinar entre 27 e 29 de dezembro", afirmou Marta Temido.

Em conferência de imprensa após uma reunião com responsáveis do planeamento da vacinação, Marta Temido declarou que a Agência Europeia do Medicamento poderá emitir a 23 de dezembro a autorização condicional de introdução no mercado e que as primeiras doses de vacina poderão chegar a Portugal no dia 26. "No mês de Janeiro chegarão, a partir de dia 4, as demais doses, cerca de 300 mil vacinas", disse a ministra da Saúde, anunciando que estão a ser definidas prioridades de vacinação.

"Estamos a ultimar o processo de seleção do grupo que vai ser vacinado com este primeiro lote, nestes primeiros dias de vacinação. Esse grupo respeitará aquelas que são as prioridades clínicas que foram definidas tecnicamente e face à dimensão deste lote será focado na componente profissionais de saúde, na medida em que são os que nos podem ajudar, na primeira linha, a proteger os restantes", informou a ministra, na mesa conferência de imprensa.

"A mensagem é a seguinte: vamos começar por cuidar primeiro quem cuidou de nós, sendo que, uma semana depois, o plano será alargado a toda a população identificada como prioritária, designadamente os residentes em lares", adiantou a ministra da Saúde.

A ministra recordou que não há alterações ao plano que estava deleniado, que, na primeira fase abrangerá os profissionais de estruturas residenciais para idosos, os profissionais de saúde, os residentes em lares e depois as pessoas com mais de 50 anos que reúnem uma ou mais de várias patologias. "Essa definição de grupos prioritários mantém-se. O que fizemos foi a identificação de um subgrupo para este primeiro lote de vacinas que ainda nos chegará ainda este ano", disse a ministra.

PUB

"Em Janeiro, iremos continuar a vacinar de acordo com esta identificação previamente realizada", acrescentou Marta Temido, que disse estar confiante no processo de vacinação.

"Estamos a falar de um processo exigente e novo", disse Marta Temida, sublinhando "que os serviços desenvolvidos, quer do Ministério da Saúde quer de outras áreas setoriais, permitem confiar em que será um processo que correrá bem e contará com o envolvimento dos portugueses que podem ter confiança na vacinação".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG