Pandemia

Vacinados com Janssen vão receber dose de reforço contra a covid-19

Vacinados com Janssen vão receber dose de reforço contra a covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou três novidades sobre a administração do reforço contra a covid-19, o que permitirá chamar mais pessoas ao processo de imunização.

Graça Freitas anunciou esta quinta-feira "três grandes novidades" no processo de vacinação. Em conferência de Imprensa, a diretora-geral da Saúde informou que os utentes vacinados com Janssen, de toma única, e com mais de 18 anos, vão receber o reforço vacinal. Cumprindo um intervalo de 90 dias após a toma da primeira dose, o reforço será, na prática, a segunda vacina contra a covid-19 que estes utentes vão tomar, desde que a pandemia começou. A nova administração será de uma vacina do tipo mRNA.

Para os restantes elegíveis para o reforço vacinal, maiores de 65 anos e profissionais de saúde, do setor social e bombeiros (que transportem doentes), o intervalo entre a toma da segunda e a terceira dose vai ser encurtado: entre 150 a 180 dias. O período para administrar o reforço vacinal era a partir dos 180 dias, ou seja, seis meses. "Encurtamos este tempo para poder chamar mais pessoas mais cedo [à vacinação]", disse Graça Freitas.

Dentro deste grupo, também os recuperados (que já tiveram e recuperaram da doença covid-19) vão receber uma dose de reforço e vão cumprir o mesmo intervalo de tempo. A diretora-geral da Saúde diz que o universo será de cerca de 140 mil pessoas. Graça Freitas precisa que, entre os recuperados, haverá apenas uma exceção: os utentes que já receberam duas doses da vacina, porque que tiveram de viajar (um requisito à entrada em alguns países), estão sinalizados como já tendo recebido o reforço vacinal.

A norma para as três novidades anunciadas por Graça Freitas serão publicadas ainda esta quinta-feira, o que permitirá "programar" os próximos passos do plano de vacinação.

A responsável pela DGS aproveitou a conferência de Imprensa para afirmar que "a pandemia ainda não acabou nem em Portugal, nem em nenhum lugar". Apesar de 86,5% de população vacinada em Portugal, Graça Freitas apela aos utentes elegíveis para se imunizar com a chamada "terceira dose" ou, quem ainda não o fez, para realizar a "vacinação primária" (primeira e segunda dose).

Questionada sobre se a "casa aberta" (sem necessidade de agendamento prévio) vai vigorar, no fim de semana, apenas para maiores de 75 anos, a diretora-geral da Saúde disse que existirá uma "adaptação local" dos centros de vacinação. De recordar que, na Maia, a modalidade vai abranger os utentes a partir dos 65 anos. Na quarta-feira, o coordenador do plano de vacinação contra a covid-19 referiu que os centros de vacinação teriam autonomia, mas deveriam privilegiar as "vacinações agendadas".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG