Covid-19

Variante delta é 92,3% prevalente no Algarve

Variante delta é 92,3% prevalente no Algarve

A variante delta continua a aumentar a prevalência no país, sendo de 69,5%. No Algarve, região que regista a maior percentagem, chegou aos 92,3%.

A análise ao crescimento da variante delta no país, divulgada esta sexta-feira, no relatório de monitorização das linhas vermelhas para a covid-19, mostra que na divisão por regiões é o Algarve que conta atualmente com a maior taxa de prevalência: 93,2%.

Seguem-se a região Centro com 85,7%, a de Lisboa e Vale do Tejo, com 84,7% e a 70,8%. Na região Norte está muito perto dos 50% (49%) e nas regiões autónomas está mais baixa. Nos Açores é de 4,4% e na Madeira de 22,7%.

A média nacional é de 69,5% mostra ainda o balanço divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

É também a região do Algarve com maior taxa de incidência cumulativa a 14 dias, de 422 casos por 100 mil habitantes. No resto do continente o Alentejo tem uma incidência de 108 casos, o Norte 99 e o Centro 95.

Os investigadores estimam que a manterem-se estas taxas de crescimento, a "linha vermelha da incidência" de 240 casos por 100 mil habitantes se vai atingir dentro de seis dias.

A 30 de junho esta era já de 200 casos, embora os dados hoje revelados no relatório de situação, da DGS, serem inferiores: 189,4 casos a nível nacional e 194,2 casos no continente.

PUB

Internamentos a subir

O número diário de casos doentes com covid-19 internados em cuidados Intensivos no continente revelou uma tendência crescente, correspondendo a 47 % do valor crítico definido de 245 camas ocupadas. Na semana passada estava nos 43%. LVT tinha 71 internados, o que corresponde a 83% do limite regional de 83 camas.

O grupo etário com maior número de casos em cuidados intensivos (60 doentes) é o das pessoas entre os 40 e os 59 anos.

Por idades, era o grupo dos 20 aos 29 anos com a taxa de incidência mais elevada, 427 por 100 mil habitantes a 14 dias. Dos 10 aos 19 e dos 30 aos 39 o valor e igual, de 291 casos.

Acima dos 80 anos a incidência era bastante inferior, de 43 casos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG