Concurso

Veja os resultados do acesso à 2.ª fase do Ensino Superior

Veja os resultados do acesso à 2.ª fase do Ensino Superior

O Ensino Superior conta, a partir desta quinta-feira, com mais 9274 estudantes. Os resultados da 2.ª fase do concurso nacional de acesso, que são divulgados esta quinta-feira, mostram ainda que, em 70 cursos, o último colocado tinha uma nota igual ou superior a 17 valores. São 389 alunos, dos quais 14 conseguiram a proeza de ultrapassar os 19 valores.

Consulte aqui a lista de colocados da segunda fase de acesso ao Ensino Superior

Veja-se o caso do curso de Engenharia e Gestão Industrial, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, que, na 1.ª fase, tinha obtido a terceira média de entrada mais alta. Dos 186,5 pontos disparou, nesta 2.ª fase, para o pódio, com o único colocado a entrar com 195,8 pontos. Segue-se Engenharia Aeroespacial, do Instituto Superior Técnico, que tinha obtido a média mais alta, passando de 189,5 para 194,5 pontos.

Sobraram 4583 vagas

Nesta 2.ª fase foram postas a concurso 11 615 vagas, a que se juntaram 2119 libertadas por candidatos matriculados na 1.ª fase e que foram agora colocados na 2.ª. Feitas as contas, sobraram para a 3.ª fase do concurso, que arranca a 3 de outubro, 4583 vagas, menos 14% do que em 2018.

Tal como já tinha acontecido na 1.ª fase, a maioria são de institutos politécnicos, apesar de terem assegurado 51,6% do total de colocados nesta 2.ª fase. E repete-se o mau desempenho dos cursos de Engenharia Civil, com 72% das vagas por ocupar.

38 cursos sem procura

Aliás, dos 38 cursos que não conseguiram qualquer colocação - precisamente o mesmo número da 1.ª fase -, sete são de Engenharia Civil. Em sentido contrário, das 388 vagas abertas para Enfermagem, sobraram apenas 13 nos Açores.

No conjunto das 1.ª e 2.ª fases já ingressaram no Ensino Superior público 46.721 novos estudantes, mais 1,4% face a período idêntico do ano passado. As estimativas do Governo apontam para cerca de 77 mil novos alunos em 2019/2020.

Colocados

Do total de 9274 estudantes colocados na 2.ª fase de acesso ao Superior, 51,6% entraram em institutos politécnicos e os restantes em universidades públicas.