Chega

Ventura diz que não é megalómano mas o novo "sol"

Ventura diz que não é megalómano mas o novo "sol"

O líder do Chega recusou, na tarde deste sábado, o rótulo de megalómano e reafirmou o que tem dito nos últimos dias: "Queremos e vamos ser Governo em Portugal".

No discurso desta tarde, no III Congresso do partido, que decorre em Coimbra, André Ventura tentou desmontar as críticas. "Acusam-nos de megalomania, de destruir a Direita e de querer fazer o frete ao PS. A nós, que passamos um dia inteiro, dois, a fazer o que nenhum outro partido de Direita fez e devia ter feito: encostar o António Costa às cordas", afiançou. E, de seguida, reiterou o que tem dito nos últimos dias: "Queremos e vamos ser Governo em Portugal. (...) Não enganamos ninguém quanto aos nossos objetivos".

O presidente do Chega, que realçou o crescimento do partido em apenas dois anos, começou por dizer que se deve separar a religião da política, para em seguida afirmar: "Mas acredito que Deus me colocou neste lugar neste mundo" para dizer "o certo", numa sociedade com muita "gente errada" e chamar "os bandidos de bandidos, os subsidiodependentes de subsidiodependentes e os corruptos de corruptos".

Realçando o facto de o partido congregar pessoas antes afastadas das urnas, garantiu, sem hesitações: "Somos o novo sol de Portugal". E desvalorizou as divisões internas do partido, dizendo que "por muitas divisões e clivagens", o partido está forte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG