Exclusivo

Viagens e turismo já só esperam que 2021 valha metade de 2019

Viagens e turismo já só esperam que 2021 valha metade de 2019

O novo ano é pobre em pontes e fins de semana prolongados, mas vai ser a vacina a ditar a procura e as vendas no turismo. Operadores, agências e companhias aéreas contam com mais movimento depois da Páscoa e perto do verão.

Numa altura do ano em que muitos portugueses olham para o calendário do novo ano para marcar, estrategicamente, férias e escapadinhas para os 12 meses seguintes, a falta de confiança devido à pandemia está a travar entusiasmos e mantém o setor das viagens e do turismo em suspenso.

Será um ano em que a Páscoa calha mais cedo, o que não ajuda às escapadinhas para Sul, parco em fins de semana alargados e com os feriados de 25 de abril, 1 de maio e 15 de agosto ao fim de semana. O único calendário para o qual hoteleiros, companhias aéreas, operadores e agentes de viagens olham, nesta altura, é o da vacinação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG