Legislativas 2011

Vitória esmagadora do PSD devolve o poder à Direita

Vitória esmagadora do PSD devolve o poder à Direita

As eleições legislativas deste domingo representaram uma profunda mudança no rumo político do país. Vencedor, o PSD não deixará de acolher no próximo Governo representantes do CDS, cumprindo a promessa feita pelo líder social-democrata em campanha.

A Direita recupera o poder num contexto de austeridade, obrigada que está a cumprir as determinações da "troika" internacional, mas quer Pedro Passos Coelho, quer Paulo Portas revelaram a intenção de não alienarem o apoio do PS, que abriu o processo de sucessão, na sequência da demissão de José Sócrates.

Uma verdadeira "onda laranja" varreu o país (ver resultados aqui) - o PSD tomou o lugar do PS como vencedor em dez círculos eleitorais - mas o CDS-PP ficou imune ao efeito do voto útil. Com efeito, Paulo Portas pode também clamar vitória, na medida em que dilatou o grupo parlamentar, ficando com tantos deputados eleitos como o conjunto dos dois partidos mais à Esquerda (CDU e Bloco).

Contestatárias do acordo com a "troika", estas duas forças políticas tiveram sortes diferentes. Se o BE, de Francisco Louçã, encolheu para metade o número de eleitos, já a CDU conservou a sua representação parlamentar, recuperando mesmo a condição de quarto partido. Isto é: os comunistas lograram capitalizar, à Esquerda, o voto de protesto face às políticas seguidas pelo PS, enquanto os seus adversários directos terão sido mais fortemente penalizados pelo voto útil.