Newsletter Editorial

Haverá sempre o antes e o depois da Covid-19

Haverá sempre o antes e o depois da Covid-19

Acorda-se e por uns minutos parece que foi só um pesadelo. Quem já não teve a sensação? A verdade é que estamos a viver um filme da vida real e ninguém estava preparado para as consequências de uma pandemia em pleno século XXI. A partir de agora, haverá sempre o antes e o depois do novo coronavírus, o tal que, no início, não foi levado a sério por alguns dos líderes mundiais (?) como Trump, Boris Johson e Bolsonaro. Quando ouço o presidente dos EUA acusar um repórter de sensacionalismo por este ter perguntado o que teria para dizer aos cidadãos que estão assustados questiono-me como foi possível termos chegado até aqui.

Estamos numa espécie de "peste negra" da era moderna e a poderosa Europa, afinal, parece tombar como um castelo de cartas. Estamos fechados em casa, as crianças não têm aulas e as urgências nos hospitais estão em colapso. Em Madrid, há doentes no chão. No meio das recomendações, de ficar em casa, surgem relatos de pessoas que furam a quarentena só porque sim ou porque vão caçar "pokémons".

Em pleno Estado de Emergência, a marginal da Póvoa de Varzim e Vila do Conde esteve cheia de gente e, durante o dia, seis pessoas foram detidas pelo crime de desobediência. "Vão ser três meses muito duros", avisou António Costa, primeiro-ministro, quando foi decretado o atual estado da nação. O povo português costuma fazer das fraquezas forças, mas com a economia a cair abruptamente e as empresas e os postos de trabalho em risco, só com medidas de exceção poderá ser possível sobreviver à pandemia "económica". Continuará a existir rendas no Porto e Lisboa a 1000 euros?

Toda a gente tem saudades da bola, mas, neste momento, o campeonato é outro. O Euro já foi adiado e os Jogos Olímpicos de Tóquio, apesar da renitência do Comité Olímpico, vão pelo mesmo caminho. Muitas provas de qualificação foram canceladas e os atletas continuam a preparar-se na incerteza. Paralelamente, discute-se a redução de salários nos jogadores de futebol e, na Bélgica, até já há clubes a aplicar "desemprego temporário". Nada mais será como dantes.

Para ler mais noticiário sobre o coronavírus clique aqui

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG