Newsletter Editorial

A nova vida do leão e a festa da Taça

A nova vida do leão e a festa da Taça

O campeonato esteve de folga no fim-de-semana, mas não faltaram emoções em Alvalade. Frederico Varandas é o 43.º presidente do emblema leonino e tem a missão de conduzir o clube do coração ao título. A bola rolou na Taça de Portugal e o Felgueiras destacou-se com uma goleada das antigas: 9-0

Para grandes males, grandes remédios. O Sporting estava doente, vaI daí os sócios elegeram um médico para tratar da saúde do leão nos próximos quatro anos. Frederico Varandas, ex-diretor clínico, venceu a corrida eleitoral e herda o testemunho de Sousa Cintra, que assumiu o poder para estancar os estragos de Bruno de Carvalho.

Esperança e retoma são as palavras da ordem junto dos sócios, que deram uma forte prova de vitalidade ao acorrerem às urnas em grande número: 22.510 mil deslocaram-se ao Estádio José de Alvalade para exercer o direito de voto.

Se o verde da esperança volta a brilhar na casa do leão, a apreensão é o sentimento que reina no vizinho da Segunda Circular, com os sócios do Benfica e do universo futebolístico a seguirem com atenção os desenvolvimentos do caso E-Toupeira, que pode ter consequências graves para o clube encarnado, que arrisca ficar impedido de disputar as competições profissionais por um período de seis meses a três anos.

No fim-de-semana, as emoções nas quatro linhas resumiram-se à primeira ronda da Taça de Portugal, a cargo das equipas do Campeonato de Portugal e dos Distritais. Diogo Caldas Marques, nome que consta no bilhete de identidade de Digas, avançado do Felgueiras, foi um dos heróis da jornada, ao apontar um póquer na goleada (9-0) sobre o Vila Flor. O atacante fez quatro golos em 14 minutos e foi substituído para a ovação ainda na primeira parte. O trabalho estava feito e bem feito.

Lá por fora, a Dinamarca sempre entrou em campo com os habituais titulares e bateu o País de Gales, por 2-0, com bis de Christian Eriksen, uma das estrelas do Tottenham. Uns dias antes, frente à Eslováquia, num jogo particular, a seleção dinamarquesa alinhou com jogadores da 3.ª divisão e de futsal, tendo perdido por 3-0, depois dos jogadores normalmente convocados se terem recusado a jogar, devido a um diferendo com a Federação, onde exigem melhores condições financeiras.

Um acordo temporário permitiu que a seleção nórdica entrasse em campo e vencesse a partida da Liga das Nações. Agora, é ver até quando dura o tratado de paz.

ver mais vídeos