Newsletter Editorial

A taça é deles

A primeira imagem que salta à memória, quando olhamos aqueles miúdos escanzelados presos na escuridão da dúvida no fundo de uma gruta tailandesa, é a dos mineiros de San José, em Copiapó, a sair, um por um um, numa cápsula, para a superfície do terrível deserto chileno do Atacama, por um túnel vertical cavado à força da persistência de dois ou três teimosos.

Era o 69.º dia desde que um deslizamento de terra os bloqueara numa mina destratada pela incúria da ganância, a 700 metros debaixo de terra. Estiveram ali 17 dias até o mundo exterior receber um sinal de vida. E estiveram ali outros 42 até o mundo exterior voltar a ser o deles. Era 2010, Omar Reygadas já tinha 61 anos. Agora, é ele que, do longínquo norte chileno, se vira para os confins da Ásia. "Eles não devem ter vergonha de ter medo". É possível sobreviver às quase escuras, a alimentar-se do possível, mas, sobretudo, da fé. No que seja. Na validade da esperança.

Eles são 12 rapazes entre os 11 e os 16 anos e o treinador de 25 anos com quem se enfiaram na gruta de Tham Luang Nang Non, no dia 23 de junho. Jogadores de futebol numa equipa juvenil, os "Javalis Selvagens", passaram nove dias no breu até vislumbrarem o halo de uma lanterna a aparecer do fundo das águas turvas com que as monções encheram os canais da gruta. Ontem, as famílias viram-no num vídeo curto, simples. Estão bem. "Eu vi-o. É o rapaz da camisola vermelha e branca". Chama-se Pheeraphat Sompiengjai, "Night", fez 16 anos no dia em que a festa deveria ser o bolo que a mãe fez. No dia 23 de junho. "O bolo está no congelador". Diz a mãe.

Em pleno mundial de futebol, esta é a equipa que sustém o fôlego do planeta e da qual não podemos deixar, ainda, de falar. Até ao dia em que o primeiro javali surgir, ainda não se sabe como, muito menos quando, voltar a ver o sol. E depois? A psicologia explica que o depois poderá ser duro, ainda que o até lá seja pior. "Nós tivemos medo também. As nossas lágrimas também correram. Mesmo homens crescidos, nós chorámos", diz-lhes Reygadas, cuja história deu um filme que também o pôs a chorar.

A façanha dos javalis dará certamente outra fita. A prazo. No imediato, a taça é deles.

ver mais vídeos