Newsletter Editorial

Adeus à Pedreira?

Construir um estádio novo faz todo o sentido para o S. C. Braga.

Terminada a época futebolística dos clubes da forma mais previsível de todas, com o Sporting a ganhar a final da Taça ao F. C. Porto num desempate por grandes penalidades, e antes de entrar em campo a seleção para tentar conquistar, em casa, a primeira edição da Liga das Nações (os empates do costume chegam, desde que haja eficácia leonina nos penáltis...), eis que do Minho surge um assunto que pode vir a mudar bastante a vida dos adeptos do Sporting Clube de Braga, muito mais do que as eleições europeias, que tiveram a elevadíssima abstenção do costume e a vitória esperada do PS.

Em comunicado, a Direção do emblema bracarense admitiu esta segunda-feira a hipótese de avançar para a construção de um novo estádio, no local onde subsiste o velhinho 1.º de Maio. A ideia, lançada pelo presidente arsenalista, António Salvador, sempre dependente da vontade dos sócios, aponta para a edificação de um recinto mais pequeno do que o atual Estádio Municipal e fala de uma "obra vital" para o futuro do emblema minhoto.

Salvador quer um estádio funcional, com capacidade para 20 mil espectadores e uma localização mais central, adaptado às necessidades do clube e dos adeptos. Por muito precoce que possa parecer agora, trata-se de um projeto muito aliciante, quanto mais não seja porque os últimos 15 anos, o tempo de vida do Estádio Municipal, inaugurado para o Euro 2004, provaram que o recinto não serve ao S. C. Braga.

Longe de tudo, com pouco conforto para os adeptos e sem bancadas atrás das balizas, a célebre "pedreira" é uma fantástica obra de engenharia, mas não consegue ser um estádio adequado ao futebol do século XXI. Ter uma casa nova, perto do centro da cidade, com um ambiente mais acolhedor e ao mesmo tempo potenciador do fervor clubístico, talvez seja mesmo tudo o que o clube minhoto precisa para se assumir, em definitivo, como um verdadeiro candidato à vitória no campeonato nacional.

Esse é, como já se sabe, o grande sonho de Salvador até 2021, ano em que o S. C. Braga celebra o centenário. Mais do que o desejado título, construir um estádio pode, no entanto, ser a obra que definirá o futuro dos "Guerreiros do Minho".