Newsletter Editorial

"See you à la prochaine"

A festa da Liga das Nações já lá vai. Mas o balanço policial só foi feito hoje, terça-feira, e nas detenções ganharam os ingleses: sete contra cinco (portugueses). Os britânicos eram muitos, cerca de 25 mil, e deles partiu a única mancha no torneio, que até originou um pedido de desculpas do Governo. Sendo verdade que os casos de desordem pública foram pontuais, não foi bonito. O certo é que os negócios falam mais alto e que o mercado nacional está preparado para passar uma esponja, voltando a fazer olhinhos aos "bifes".

"See you soon" para os ingleses, "à la prochaine" para os suíços e um misto das duas línguas para os holandeses. Tudo idioma estrangeiro para dizer "até já", porque Portugal deve honrar o título de bom anfitrião e o turismo, que é o grande filão, não pode ter areias na engrenagem. A acesa noite na baixa portuense, durante o jogo Portugal-Suíça, com os adeptos britânicos a protagonizarem cenas tristes, fica para trás. É passado. São "peaners", como diria o mediático treinador luso, que, este mês, abraçou uma difícil, mas desafiante, carreira no Rio de Janeiro.

É justo reafirmar que o Reino Unido não fechou os olhos. As imagens da carga policial nos Aliados correram o Mundo. Em entrevista ao Jornal de Notícias, Mims Davies, secretária de Estado do Desporto, não podia ser mais clara: "Peço desculpa pela minoria que criou problemas".

O caso foi encarado como um episódio. Para as autoridades portuguesas, feita a apreciação global, "o balanço final é muito positivo". Foi o que disse, esta terça-feira, Paulo Campos, comandante metropolitano do Porto, no dia em que também se soube que a PSP dará formação sobre policiamento desportivo ao Qatar, país organizador do Mundial de futebol de 2022.

São, portanto, mais as vitórias do que as derrotas. Que o digam a hotelaria e a restauração do Porto e de Guimarães, seguramente com resultados auspiciosos durante a Liga das Nações. Pelas contas do IPAM, o retorno financeiro pode ascender aos 150 milhões de euros. Sempre a vapor, a FPF anunciou estar a analisar a candidatura à organização conjunta do Mundial de 2030, de braço dado com a Espanha. Nunca como agora, em tempos de grande investimento na captação de turistas, o slogan "see you à la prochaine" fez tanto sentido. Mesmo que o risco de uma carga policial, embora pontual, venha no pacote.