Newsletter Editorial

Maratonas de cevada

Li há dias que Lisboa ia receber uma corrida inédita no país: a "Beer Runners", uma prova que junta o atletismo ao consumo de cerveja. O Porto não quis ficar atrás e juntou uma campeã olímpica da Maratona a uma cervejeira.

O assunto ainda promete fazer correr muita tinta. Depois de Rosa Mota ter ficado desagradada por ver o seu nome associado a uma marca de cerveja no pavilhão que batizou há quase três décadas, ao ponto de não marcar presença na reinauguração, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, reagiu, apontando que o tempo será o melhor conselheiro. "Respeitámos o nome da minha amiga Rosa Mota e ainda fizemos algo que - desde que em 1991 aceitou batizar o então 'pavilhão dos desportos' - nunca tinha acontecido. O seu nome passou a estar agora inscrito na fachada e pela primeira vez", afirmou, na sua página do Facebook.

Da cerveja, passamos à água, mas as notícias não são menos polémicas. Segundo escreve hoje o Delfim Machado, só em Guimarães há 21 processos da Agência Portuguesa do Ambiente contra a Águas do Norte, devido a descargas poluentes.

Mais abaixo no mapa, os tempos são de contestação em São João da Madeira. A falta de funcionários na Escola Básica e Secundária Oliveira Júnior levou a que estes, juntamente com os alunos e os encarregados de educação, se manifestassem à porta do estabelecimento.

Esta terça-feira cinzenta pede melhores notícias e menos discussão. E há pelo menos uma neste país. Um homem de 85 anos estava desaparecido em Cuba, no Alentejo, desde ontem à tarde, mas foi encontrado com vida num canavial perto da aldeia. Foi transportado ao hospital por precaução, mas encontra-se bem.

Apesar de ser um apaixonado por desporto e pelos Jogos Olímpicos, não me recordo da Medalha de Ouro de Rosa Mota na Maratona em Seul, fruto dos meus cinco anos da altura. Oito anos depois, aos 13, vibrei a altas horas da madrugada com o Ouro de Fernanda Ribeiro nos 10 mil metros em Atlanta e, em 2008, já em idade adulta, com o de Nélson Évora em Pequim. Neste último, já o devo ter festejado com uma cerveja, que sempre apreciei desde que me foi permitido experimentar. E apesar de ser um atleta amador, não me passa pela cabeça participar numa prova que junte corrida com cerveja. Gosto de cada coisa no seu lugar.