Newsletter Editorial

O horror exposto nas redes sociais

O horror exposto nas redes sociais

Costumo dizer que as redes sociais foram o melhor e o pior que aconteceu à sociedade contemporânea. E a parte do pior ganhou muito mais significado com o que aconteceu esta segunda-feira em Braga. Um jovem de 16 anos terá violado uma colega, de 14, expondo as suas fotos no Instagram.

O horror relatado pelo Joaquim Gomes na edição online do JN chocou o país na manhã desta terça-feira e leva a que se questione o uso das redes sociais pelos jovens, bem como o tipo de influências que os move. A jovem, por vergonha, chegou mesmo a omitir o que lhe aconteceu.

Fora das redes, mas ainda em Braga, uma escola foi encerrada pelos pais em Santa Tecla, preocupados com a falta de segurança no recreio. Buracos e pedras soltas decorrentes de obras recentes são o motivo de preocupação dos encarregados de educação.

Numa terça-feira em que a chuva voltou em força, estão ainda por resolver estragos anteriores provocados pelo mau tempo. Como em Bragança, onde a trovoada de julho, acompanhada de chuva e granizo, danificou muitas cooperativas agrícolas. Perante isto, o Governo decidiu alargar os apoios que já tinham sido estipulados por causa da tempestade Leslie, em outubro de 2018, para estes prejuízos.

Ainda por terras transmontanas, em Mirandela encontraram centenas de peixes mortos no Rio Rabaçal, na localidade de Eixes. A situação foi denunciada pelos habitantes, que detetaram uma enorme mancha de gordura, água acastanhada e centenas de peixes mortos, que já estão a ser retirados pelos serviços da Proteção Civil de Mirandela e Valpaços, como conta o Fernando Pires.

Acabemos com uma boa notícia, para atenuar o horror com que se abriu este texto: o vinho nacional está cada vez melhor e a ser produzido em maior quantidade, como demonstra o trabalho do Eduardo Pinto, publicado na edição impressa do JN desta terça-feira. Brindemos!