Newsletter Editorial

Um campeão a acelerar no céu

Um campeão a acelerar no céu

O mundo do desporto e, em concreto, do motociclismo chora a morte de Paulo Gonçalves. O "Speedy" ou "Touro Bravo", como mais recentemente era conhecido. Morreu a fazer o que mais gosta, mas cedo, demasiado cedo. Aos 40 anos, tinha um longo percurso para cumprir na modalidade que aprendeu a amar desde o berço. Um acidente, uma profunda tragédia, colocou travão a uma carreira cheia de momentos altos e que mereceu o reconhecimento nacional e internacional.

"Vais continuar a acelerar no céu", foi uma das frases mais comuns nas mensagens emotivas dos pilotos que estão presentes no Rali Dakar. Paulo Gonçalves morreu a viver o sonho de vencer uma das mais duras e perigosas provas de rali do mundo e será sempre lembrado como uma lenda. Um campeão em toda a linha.

Num fim de semana fatídico, tudo o resto perdeu importância. Nota alta para a prestação da seleção portuguesa de andebol, que continua a brilhar no Campeonato da Europa. Venceu a Bósnia, dando continuidade ao fantástico triunfo sobre a França, e já garantiu o apuramento para a fase seguinte. "O céu é o limite", já deixou escapar o selecionador, Paulo Pereira, que, porém, ressalva que agora vem o mais difícil de concretizar. Antes do fecho da fase de grupos, Portugal ainda joga com a anfitriã Noruega, num jogo onde se vai decidir o primeiro e segundo lugar.

Na liga portuguesa, com maior ou menor dificuldade, os três grandes venceram, mas a uma jornada do fim da primeira volta é justo destacar o percurso do Famalicão, que segue no terceiro lugar depois de ter ganho no Bessa (0-1) frente ao Boavista, num encontro onde ficou reduzido a dez unidades logo no primeiro minuto, por expulsão do guarda-redes Defendi.

O Braga, no segundo jogo de Rúben Amorim no comando técnico, voltou a vencer, mas agora longe da goleada (7-1) com o Belenenses. Na receção ao Tondela, esteve a perder e deu a volta "in-extremis" com dois golos de Paulinho.

Em Itália, no jogo de cartaz, que colocou frente a frente Paulo Gonçalves e Cristiano Ronaldo, a Juventus levou a melhor (1-2) sobre a Roma e assumiu a liderança da Serie A, aproveitando o empate (1-1) do Inter com a Atalanta. CR7, pois claro, voltou a marcar. De penálti, sim, mas também vale.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG