Premium

Compostagem: de resíduo orgânico a fertilizante

Compostagem: de resíduo orgânico a fertilizante

A compostagem caseira permite obter fertilizante para adubar o solo utilizado na agricultura, nas hortas ou na jardinagem. Uma iniciativa ao alcance de qualquer pessoa e que alguns municípios incentivam. Duas famílias referem o que as motiva a reciclarem matéria orgânica.

Há "quase meio século" José Filinto Trigo começou a ganhar consciência para a reciclagem da matéria orgânica produzida em casa. Tinha nove anos e acabara de mudar para uma moradia, em Famalicão. "Os meus pais colocaram um compostor no fundo do quintal", conta o engenheiro civil, de 56 anos, com o palpite de que provavelmente a motivação "não tenha tido por base razões de proteção ambiental como hoje as interpretamos". Acredita, pois, que o intuito tenha sido "resolver uma boa parte do problema da recolha do lixo" que era produzido e "aproveitar o composto como fertilizante" na pequena horta.

Mais recentemente, há 11 anos, com a aquisição de uma vivenda também em Famalicão, Filinto teve a oportunidade de reproduzir o engenho. Nessa altura, a esposa, Maria de Fátima, de 48 anos e engenheira civil de profissão, iniciou-se na compostagem caseira. Os filhos do casal - João de 16 anos, Ana de dez e Beatriz de sete - apreendem as ações em prol do ambiente.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG