Premium

Os novos mundos dos emigrantes portugueses

Os novos mundos dos emigrantes portugueses

Mais qualificada, mais bem preparada, com novas ferramentas, outra mentalidade. Sempre conectada aos seus e ao país. A emigração portuguesa está a mudar. Anda pelo Mundo, não se acomoda, cria oportunidades, não se move pela fortuna, parte pelas experiências e pelo enriquecimento pessoal e profissional. Não é escrava do trabalho, aproveita a vida. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.

João André Cardoso tem em si vários mundos que moldam a sua maneira de ser e de estar na vida. Em Londres, interiorizou a pontualidade britânica. Em São Paulo, tornou-se mais emocional na partilha do que lhe vai na alma. Em São Francisco, percebeu o valor do pragmatismo nos negócios. Em Paris, aprendeu a ser direto na forma de comunicar. Nunca perdeu a arte do desenrasque de Portugal, aquele jeitinho de dar a volta. "A minha forma de ser e de trabalhar acaba por ser um resumo dos países onde estive." É um exemplo da nova vaga da emigração portuguesa.

Sai de Leiria aos 18 anos para estudar Economia em Lisboa. Aos 21, está a estudar em Bruxelas, e hoje, aos 36, lidera uma startup de seguros em Paris, a Lovys, conhecida como a Netflix dos seguros em França e que acaba de receber uma injeção de capital de 3,3 milhões de euros. Gere uma equipa de 18 pessoas, de oito nacionalidades, tem centenas de clientes. E é o acionista maioritário da Tá Certo, startup que fundou no Brasil em 2011, primeiro fornecedor de seguros numa plataforma digital e que permite subscrições mensais, procedimento inédito num país com mais de 200 milhões de habitantes.