Exclusivo

Tarefas domésticas. Quando e como envolver os miúdos

Tarefas domésticas. Quando e como envolver os miúdos

É só vantagens. Prepara para a vida, apura a organização, promove a entreajuda, incentiva a responsabilidade. Com algumas ressalvas. Depende da maturidade, não pode ser um castigo, pagar por esses trabalhos passa uma mensagem perigosa.

Qual a melhor idade para que os mais pequenos comecem a cozinhar, a passar a ferro, a limpar o pó, a arrumar o quarto? Haverá uma altura indicada para limpar janelas, estender e apanhar roupa lavada, dar banho ao cão? O início das tarefas domésticas por parte das crianças tem estratégias. Sem divisões de meninos e meninas. E sem contrapartidas financeiras. A bem da felicidade de toda a família.

Não há contraindicações de maior nesta matéria e há laços que se reforçam. "Envolver as crianças nas tarefas domésticas desde cedo é prepará-las para a vida, na medida em que aprendem a trabalhar em equipa para um fim comum, potenciando a sua autoconfiança e autoestima, autonomia e coordenação", refere Rute Agulhas, psicóloga clínica e terapeuta familiar. Inês Afonso Marques, psicóloga clínica e psicoterapeuta infantojuvenil, fala de empenho e dos seus frutos. "A colaboração de todos e a responsabilização da criança, por tarefas ajustadas à sua faixa etária/nível de desenvolvimento, fortalecem um conjunto de valores (cooperação, altruísmo, comunicação...) e promovem o desenvolvimento cognitivo, motor, emocional e social da criança", sustenta. Esse envolvimento, acrescenta Rute Agulhas, "também ajuda a promover o sentido de ordem, o respeito por si, pelos outros e a solidariedade".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG