Opinião

25 anos ao serviço da Ciência

25 anos ao serviço da Ciência

A propósito do Dia Nacional da Cultura Científica, diversas instituições de Ensino Superior e centros de investigação promoveram, ao longo da última semana, ações de divulgação da Ciência que se faz em Portugal. Desta forma, foi possível dar a conhecer os nossos cientistas, que matérias investigam, o seu contributo para o avanço do conhecimento e promover a cultura científica e o progresso da sociedade.

O Portugal de hoje é diferente, para melhor, do país à data do "Manifesto para a Ciência" lançado por Mariano Gago, que propõe estratégias de desenvolvimento baseadas na educação e na cultura científica. De um país económica e socialmente isolado, em relação aos movimentos globais da cultura científica e marcado por consideráveis assimetrias, o país trilhou caminhos mais amplos de cultura científica e, à luz da Europa, já somos considerados um país fortemente inovador.

Quando se comemoram 25 anos do Ministério da Ciência, num tempo de marcada incerteza, uma certeza existe: as universidades são o garante da capacidade de transformação das sociedades. Perante a crise que vivemos, e cientes de que não há conhecimento sem um sistema de Ensino Superior forte e dinâmico, é da universidade e do sistema científico que depende a possibilidade de Portugal acontecer e ter futuro.

Ao projetar um novo entendimento do papel do conhecimento, como fator incontornável de progresso e crescimento, o país tem sublinhado a impossibilidade de promover desenvolvimento por concentração de recursos humanos e materiais nos grandes centros urbanos.

Em contraste, tem reforçado a necessidade de se promover um desenvolvimento científico espacialmente distribuído, com descentralização de recursos especializados, sendo para isso vital a retenção e atração de talento para as regiões periféricas.

*Reitor da UTAD

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG