Opinião

Crescimento sustentado

Crescimento sustentado

Rigor e exigência. Um binómio que, conjugado, se traduz num modelo de sucesso e claro crescimento sustentado pela Liga Portugal que, na próxima quinta-feira, em Assembleia Geral Ordinária, se prepara para apresentar o sétimo ano consecutivo com contas positivas, bem como a proposta de Orçamento e Plano de Atividades para a temporada 2022/23.

Este rigor tem sido, de resto, uma imagem de marca da atual Direção Executiva da Liga Portugal, sob a qual o organismo que tutela o Futebol Profissional conseguiu recuperar e consolidar a sua situação financeira, perfilando-se como um verdadeiro exemplo de gestão.

Um modelo onde este critério nunca foi impeditivo de qualquer tipo de crescimento ou desenvolvimento (bem pelo contrário), como se constata pela forte aposta em quadros de recursos humanos e infraestruturas, que se têm traduzido numa clara mais-valia para este caminho evolutivo de todo o Futebol Profissional.

E não queremos ficar por aqui. Acreditamos que tudo é possível quando o escrutínio é rigoroso e é, precisamente, sobre este mote, que olhamos com orgulho para a profissionalização de várias áreas (impensável há algumas épocas atrás), que foi conseguida com muito trabalho e esforço a envolver todas as Sociedades Desportivas.

Este sucesso ficou patente no recente processo de licenciamento para a edição 2022/23 das competições profissionais, que terminou esta segunda-feira, com todos os Clubes a cumprirem com os pressupostos exigidos para estar no Futebol Profissional.

Assinalável e bastante satisfatório, é certo, porém a mensagem que pretendemos passar é que o caminho do rigor e da exigência não se esgotou por aqui e irá prolongar-se ao longo da época, com máximo escrutínio em questões salariais, de relvados e infraestruturas. Afinal de contas, é este o rumo de crescimento que a Liga e as suas Sociedades Desportivas delinearam para o futuro do Futebol Profissional!

A subir

PUB

O novo de Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Correia, continua, sem receios, o seu périplo de reuniões com diferentes instituições do Futebol nacional, num sinal de abertura e vontade de escutar as preocupações desta atividade, num caminho que, certamente, será contínuo a mais instituições representativas do Futebol português.

A descer

A violência no desporto continua a ser um dos temas mais prementes nesta agenda do Futebol Profissional (e do desporto), com os recentes incidentes, transversais a diversas modalidades, a darem indicadores de que será da máxima importância tornar mais rigorosas as questões de segurança no menor espaço temporal possível.

*Diretor-executivo da Liga Portugal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG