Opinião

Desmantelamento ou reestruturação?

Desmantelamento ou reestruturação?

O Governo acabou de tomar posse. Uma das notas mais relevantes na composição do novo executivo - e que tem merecido alguma análise - é o emagrecimento do Ministério da Agricultura.

António Costa resolveu retirar as Florestas da Agricultura e colocá-las na tutela do Ambiente. Mais poder para Matos Fernandes. Nada que não estivesse já anunciado.

Bastava ter lido com atenção o programa eleitoral do PS, onde se colocavam as propostas para a agricultura no capítulo das alterações climáticas. Cabe agora à nova ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, defender a importância do setor agrícola no seio do Conselho de Ministros. O mesmo é dizer bater o pé a Mário Centeno.

Uns falam de desmantelamento outros de reestruturação do Ministério da Agricultura. Espero para ver. Maria do Céu Albuquerque tem pela frente um desafio difícil mas estimulante. Tem, desde logo, a oportunidade para mostrar que a agricultura tem peso político no seio do Conselho de Ministros. Esse peso político vai ser importante para conseguir captar verbas junto do Ministério das Finanças.

Recapitulando: tramitar os processos de apoio ao rendimento e investimento a tempo e horas; operacionalizar rapidamente a linha de crédito do BEI, racionalizar e tornar transparentes os critérios de gestão dos avisos de concursos para efeitos de candidaturas. Se Maria do Céu Albuquerque tiver capacidade e engenho para fazer cumprir os prazos legais de tramitação das ajudas e apoios financeiros aos projetos do jovens agricultores, para fazer canalizar os fundos estruturais para as regiões do Interior e não para as regiões com os lóbis mais fortes, e para exigir mais 300 milhões de euros ao Orçamento do Estado para a agricultura portuguesa - isto, que já não é pouco, seria uma enorme revolução para o setor. Tem a palavra Maria do Céu Albuquerque.

*Blogger e consultor agrícola