Opinião

Europarque é do Norte

Europarque é do Norte

Na passada semana, a Região Norte e o Europarque viveram um momento histórico. Depois de um processo negocial com o Governo e a AEP, que decorreu com elevação, o Europarque - o melhor centro de congressos de Portugal - passou para a gestão do Município.

A partir de agora o Europarque vai ter uma segunda vida. Quero, no entanto, manifestar o meu apreço por aqueles que deram corpo a este fantástico projeto e que tão importantes eventos acolheu ao longo de 20 anos.

O meu reconhecimento ao então presidente da Câmara Alfredo Henriques e ao então presidente da AEP Ludgero Marques. Tiveram visão e capacidade de realização e decidiram em conformidade com o contexto da altura. É tempo de olhar para o futuro com ambição e determinação. O Europarque é um equipamento da Região Norte e do país.

Só quem não conhece o Europarque é que ignora que este equipamento é servido por quatro autoestradas (A1, A29, A32 e A41), com vários nós de acesso; está a 20 minutos do aeroporto Sá Carneiro, a 20 minutos do Porto de Leixões, a 40 minutos do Porto de Aveiro, a 10 minutos da linha ferroviária do Norte.

Como escrevia recentemente um colunista num importante jornal nacional, "a boa notícia é que a gestão do Europarque vai ser entregue à Câmara da Feira, o que pressupõe moderação e bom senso". É com base nessa moderação e bom senso que me preocupam as notícias sobre novos centros de congressos. Aconselho os decisores políticos a refletirem. Manter e recuperar o que já está construído parece-me bem. Sem bairrismos bacocos, construir novos centros de congressos parece-me um perfeito disparate e espero que em momento algum o Estado ou os fundos comunitários financiem esse tipo de despesa.

Não compreendo os que criticam as verbas que o Estado investiu no Europarque e não dizem uma palavra quando o Estado paga mais de 250 milhões de euros à Câmara de Lisboa pelos terrenos do aeroporto, ou 16 milhões pelos terrenos do Hospital Santa Maria, ou os milhões que a ANA vai pagar à Câmara de Lisboa pelas taxas do aeroporto.

PUB

Agora é tempo de nos unirmos para colocar o Europarque a servir o tecido económico e industrial de toda esta região, onde incluo a Galiza.

Estamos a falar de uma Eurorregião, com cerca de 7 milhões de pessoas. Conto com todas as instituições e todos os autarcas desta região para fazermos do Europarque o palco privilegiado dos eventos de dimensão nacional e internacional do nosso território.

PRESIDENTE DA C. M. DE SANTA MARIA DA FEIRA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG