Opinião

A CGTP-IN e os trabalhadores

A CGTP-IN e os trabalhadores

Silva Peneda - ex-ministro do Trabalho de governos do PSD de Cavaco Silva, corresponsável pela política que na altura gerou o desemprego, os salários em atraso, a fome no distrito de Setúbal, cargas policiais sobre os trabalhadores e a população em geral como a que ocorreu na ponte 25 de Abril e um dos autores de "pacotes laborais" que escancararam as portas à ofensiva patronal contra os trabalhadores e que teve como resposta, entre outras lutas, a Greve Geral de 1988 - decidiu escrever uma "carta aberta" aos chamados "parceiros sociais", fazendo um apelo lancinante aos outros para "... tomarem uma posição clara sobre a postura da CGTP no processo da Autoeuropa e na própria concertação social".

O verniz estalou! Os interesses que sempre defendeu aí estão, apesar do tempo escondido como presidente do Conselho Económico e Social e conselheiro de Juncker. Para ele o diálogo social passa pela subordinação do trabalho aos interesses do capital e pela manutenção da actual legislação laboral.

A CGTP-IN considera insultuosas e reacionárias estas dissertações de Silva Peneda, que dá voz aos interesses da Direita e do patronato, e que mente, porque sabe que a CGTP-IN está sempre disponível para compromissos, desde que garantam e melhorem os direitos dos trabalhadores, como os acordos que subscrevemos na concertação social e que outros não cumpriram.

A CGTP-IN e os trabalhadores, com a luta, contribuíram para a derrota do fascismo e a instauração do regime democrático, contributo que Silva Peneda não deu, e hoje, nas empresas, ruas e sociedade, de acordo com a CRP, contribuímos para avanços laborais e sociais.

A CGTP-IN não foi nem será mais um instrumento ao serviço dos interesses da Direita e dispensa os "ensinamentos" sobre como intervir junto dos trabalhadores da Autoeuropa, da Gramax, da Ricon ou de qualquer outra empresa.

Continuaremos a agir e intervir, assumindo os compromissos de sempre com os trabalhadores, na defesa intransigente dos seus direitos, fazendo acordos na contratação coletiva e na concertação social, que garantem e melhoram os seus direitos!

E claro: sempre indisponíveis para os trair! Os compromissos de Silva Peneda são para cortar salários, rendimentos e direitos, acentuar a exploração e empobrecimento dos trabalhadores na tentativa de se retomar o rumo do anterior Governo do PSD/CDS-PP. Para isso, não contem com a CGTP-IN!

* MEMBRO DA COMISSÃO EXECUTIVA DA CGTP-IN

ver mais vídeos