Opinião

His Master's Voice

Propositadamente, deixamos passar uns dias sobre as notícias que nos davam conta de que Rui Moreira não queria "boys dos partidos" na lista independente com que vai concorrer a novo mandato à frente dos destinos municipais de segunda maior cidade do país. Quem lançou esta pérola para a opinião pública foi o assessor de Comunicação que integra o gabinete de apoio à presidência da Câmara do Porto e ficamos na dúvida: será que Rui Moreira pensa assim ou foi o seu funcionário que pretende ser mais papista do que o Papa?

Mas isso é lá com ele. Melhor dizendo, com Rui Moreira e com o seu "His Master"s Voice" que, no intervalo das suas obrigações de assessor, se entretém a desmentir os jornais e os seus jornalistas quando eles, auscultando a opinião pública, lhes dizem que há gente alarmada com a "ameaça" de ter mais dia menos dia de sair da sua casa para ela ser transformada numa qualquer unidade de turismo local.

Espanta é que o Partido Socialista fique calado perante esta avalancha comunicacional e, pior do que isso, se prepare para, no Porto, não apresentar lista própria e fique à espera de que Rui Moreira escolha os "boys" que lhe interessa ter na sua lista dita independente. É a própria secretária-geral-adjunta do partido que governa o país que nos vem dizer que o PS terá uma "representação" forte nas listas de Rui Moreira.

O PS liderou a Câmara do Porto 15 anos, durante os quais fez obra digna de figurar no rol das boas práticas, nomeadamente sob a liderança de Fernando Gomes. Ignorar esse passado, não apresentar um programa para atacar os problemas e lançar novas ideias; sobretudo não apresentar uma lista com individualidades prontas a servir as causas do Porto é manifestamente uma posição incompreensível. Eles lá sabem, mas lamenta-se que o PS/Porto queira homenagear Mário Soares e depois se esqueça do que ele nos ensinou.