Opinião

Já sabem o que sofremos

Já sabem o que sofremos

O último Sérvia-Portugal ficou marcado por um lance em que a bola entrou na baliza, mas o árbitro não validou o golo de Portugal.

A incompreensão que tomou conta dos fãs da seleção gerou uma onda de comentários nas redes sociais em que adepto de cada clube recordava o que se sofre quando se apoia o respetivo. O caso deu origem a memes como se as razões de queixa dos adeptos fossem todas iguais. Mas não são.

O processo de tomada de decisão dos agentes desportivos - árbitros (seja em campo ou no vídeo-árbitro) e estruturas de ação disciplinar - é altamente complexo, sendo influenciado por múltiplos fatores de natureza emocional, motivacional e cognitiva. Nos milissegundos que separam a observação da decisão, ocorre uma sucessão de processos complexos que estão naturalmente sujeitos a erros.

Os viéses cognitivos são padrões de distorção da interpretação da realidade ou do seu julgamento que influenciam o processo de tomada de decisão e conduzem a erros. É inequívoco que a pressão mediática e o desejo de conformidade com a maioria influenciam as decisões dos árbitros e das estruturas disciplinares. É assim em Portugal e em todo o mundo.

Um estudo realizado em Espanha mostrou que os árbitros tendem a favorecer quem tem mais adeptos na bancada. Na Alemanha, provou-se que o factor casa se atenunou pela ausência de público durante a pandemia. Na Noruega demonstraram que os árbitros tendem a favorecer as equipas mais poderosas. Não há, portanto, quaisquer dúvidas de que existem em Portugal três clubes mais favorecidos que todos os demais. A única dúvida está em saber se a Liga, a Federação e a tutela têm vontade de reduzir esses erros.

A subir
Abel Ruiz deu nas vistas ao serviço da seleção sub-21 de Espanha numa jornada em que a portuguesa também brilhou ante a Inglaterra.

A descer
O erro do árbitro pode justificar dois pontos perdidos, mas não explica os erros que foram cometidos pela seleção diante da Sérvia.

PUB

*Adepto do Braga

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG