Opinião

O Braga voltou?

Só um extraordinário espírito coletivo e um sentido de sacrifício ainda maior permitiram ao Braga conquistar uma importante vitória na casa do Gil Vicente e sair de Barcelos com mais três pontos na classificação.

O resultado final escreveu-se logo aos três minutos com um golo de Vitinha, o avançado que acabou de chegar da equipa B para uma estreia de sonho na Liga. Depois do golo, as equipas seguiram trajetórias diferentes: o Braga cristalizou-se na defesa do resultado enquanto o Gil Vicente se transcendeu na procura do golo. Neste entretanto, foi Matheus que brilhou na baliza bracarense. O guarda-redes arsenalista salvou a vitória um par de vezes e, ao mesmo tempo, quase a oferecia de bandeja numa saída a destempo que Sequeira corrigiu em cima da linha de golo.

O sofrimento só terminou com o apito final, o que evidencia bem as dificuldades que o Braga enfrentou em Barcelos. Carlos Carvalhal, que se destaca pela honestidade e urbanidade das suas antevisões, bem tinha advertido para as dificuldades reais de uma partida que muitos adeptos imaginavam ser fácil.

De Barcelos chegou a terceira vitória consecutiva (todas fora da pedreira), uma regularidade rara numa época marcada por muitas dificuldades e algumas inconsistências. Parece que o Braga regular e consistente voltou, mas só duas vitórias, diante de Paços de Ferreira e Portimonense, podem afastar por completo o fantasma da irregularidade.

A persistência e a competência de Carlos Carvalhal foram premiadas com a vitória de Barcelos, depois dos sucessos na Bulgária (Liga Europa) e no Montijo (Moita, Taça de Portugal). Mais do que resultado de um eventual assomo individual de vedetismo, estas foram, claramente, três vitórias do treinador.

O podcast "Pod: Ser do Braga" está debaixo de fogo. O programa não dignifica o clube e, sob a capa de pretenso humor, ajuda a perpetuar estereótipos e visões discriminatórias. É urgente corrigir o erro. O Braga é de todos e para todos.

Adepto do Braga

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG