Opinião

Legitimidade? Estabilidade?

Legitimidade? Estabilidade?

Se somarmos às sobras dos votos que resultam da aplicação do método de Hondt, os votos dos pequenos partidos que não conseguiram eleger deputados, os nulos, brancos e a elevadíssima taxa de abstenção, ficamos a pensar que na realidade é apenas um pequeno punhado de gente aquele que põe em movimento a grande máquina que nos governa.

E estes, poucos, elegem uma Assembleia da República para a qual seis distritos (dos 22 círculos) contribuem com mais de 60% dos deputados dos 230 lugares disponíveis.

E esses seis distritos vão vendo crescer os seus mandatos disponíveis a partir do despovoamento de outros. Foi o caso, nestas eleições, de Viseu e da Guarda que perderam ambos um deputado captado pelos círculos de Lisboa e do Porto.

Tudo isto conta para a já citada elevadíssima taxa de abstenção que, pela primeira vez, ficou acima dos 40% em todos os distritos do continente.

Fiquei, por ouro lado, e especialmente desta vez, com a sensação de que poderemos ter um problema de estabilidade que a confirmar-se virá a sê-lo num dos mais perigosos momentos da nossa história.

Um Brexit desordenado, que parece cada vez mais iminente, será um rastilho de consequências impossíveis de estimar. Portugal terá dificuldades em aguentar o embate, mas não terá como evitar o desastre se não gozar de estabilidade política forte.

Ora o PS mais forte que saiu destas eleições não é, por si só, garante dessa estabilidade. Quer o PCP quer o Bloco perderam votos. Um novo acordo de legislatura com o PS só fará sentido se as contrapartidas forem altas. Muito altas no caso do PCP.

Não as acolhe com facilidade o Orçamento do Estado, não as vê com bons olhos a Europa e não as tolerará o presidente da República.

Um Governo "pisca-pisca" ainda é uma probabilidade séria. Um "pisca-pisca" trabalhoso tal a dispersão dos parceiros a seduzir.

Talvez aí percebamos todos que tirar a maioria ao PS não terá sido, nestas específicas circunstâncias históricas e político-partidárias, uma ideia brilhante!

*Analista financeira