Opinião

Vai de bicicleta

Vai de bicicleta

A história é muito simples. Ricardo Robles é vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa. Muito apreciado. Muito conhecido. E muito comentado. E tem-se destacado mais ainda não por ser um utilizador exímio das bicicletas que a Autarquia disponibiliza a todos os cidadãos, mas pelas críticas ferozes à especulação imobiliária na cidade, que tem levado a despejos forçados de moradores.

O cidadão Ricardo Robles tem muitas semelhanças com o vereador Ricardo Robles. Físicas. No mais, tem uma perspetiva diferente da vida. E decidiu, segundo o próprio com a irmã, comprar um prédio da Segurança Social em Alfama, por 347 mil euros. Que agora está prestes a vender por 5,7 milhões.

Nada contra. O vereador bloquista Robles tem todo o direito de ganhar dinheiro com os negócios do cidadão Robles, que não se sabe que ideologia professa. O vereador explica que foram feitas obras de reabilitação no prédio, que por razões familiares teve de ser vendido, que só um casal tinha ali habitação e que se manterá, tendo ajustado a renda, que os três inquilinos com lojas no prédio aceitaram sair por comum acordo e que, este ele não explica, a um último, com restaurante no rés do chão, terão sido propostos cinco mil euros para que saísse, ao que este colocou um processo em tribunal exigindo compensação pelas obras que o próprio realizou.

Assim, num fôlego, o cidadão Ricardo Robles não fez mais do que o que fazem todos os especuladores imobiliários. E noutro fôlego o vereador bloquista fez mais pela destruição das bandeiras do Bloco de Esquerda do que o "espírito empresarial" de que acusam a Direita.

E ele vai giro, na sua bicicleta GIRA, colina acima, colina abaixo, dando o exemplo de político, exemplo de cidadania, olhem para o que eu digo não olhem para o que eu faço, mas também pouco importa o que faço, porque o que faço não se vê. Ou se se vê, logo se vê.

*DIRETOR-EXECUTIVO

ver mais vídeos