Opinião

Vencer será o nosso destino

Vencer será o nosso destino

No final de mais um campeonato nacional, em que não tenho a alegria de ver o meu clube vencer, olho já para o futuro, porque não gostando nada de perder, sempre soube fazê-lo com a dignidade que uma derrota exige, porque sei que essa é a melhor forma de estar de novo focado em voltar a ganhar.

Ter sucesso e ganhar em Portugal, sobretudo estando fora da capital, é sempre muito difícil, por vezes impossível, o que torna sempre as nossas vitórias ainda mais saborosas. Com a consciência de que temos que trabalhar o triplo, ser muitíssimo melhores e saber enfrentar ventos cruzados, quase sempre de sul, mas também algumas vezes da nossa própria área e que nos tentam impedir de chegar onde queremos. Mas sabemos do nosso enorme valor e prestígio, com o "estranho" maior reconhecimento externo, onde temos sido muitas vezes a única bandeira desportiva clubística relevante na promoção do nome do país.

O sucesso do Futebol Clube do Porto é um caso de estudo pelo enorme sucesso que tem tido à escala global, a partir de uma cidade média, ou mesmo pequena, inserida numa região com recursos limitados. Ter colocado o clube no patamar onde ele está deve-se muito à obra visionária do seu líder, mas também ao esforço coletivo de uma cidade, região, onde ele se insere. Sabemos que estar no top 10 do ranking da UEFA é um feito absolutamente notável, em especial porque esta classificação está alicerçada em vitórias que contrariaram toda a lógica da concentração do poder futebolístico. A recente final da Liga dos Campeões de Sub-19 é mais um sinal evidente da qualidade do nosso trabalho e o garante do futuro. Por isso não nos impressionamos com as manifestações rivais, nem com a sua amplificação pelos média do regime, porque sabemos que pese as suas várias reconfigurações e ressurgimentos, o seu objetivo de centralismo hegemónico não passará.

Assim, só nos resta o caminho de continuar a trabalhar em cada ano com mais afinco e sermos ainda melhores. Porque o nosso destino será continuar a vencer!

*Prof. catedrático, vice-reitor da UTAD