Opinião

Em aquecimento para as presidenciais 

Em aquecimento para as presidenciais 

Há quatro anos, Marcelo Rebelo de Sousa ganhava as eleições presidenciais, mas os 52 por cento de votos que somou estavam longe de constituir um resultado histórico. Marcelo certamente não esquecerá os 70,35 por cento que Mário Soares obteve na sua reeleição, em 1991. O atual presidente está a preparar-se para igual feito. E sinais não faltam.

Marcelo Rebelo de Sousa tem resistido a dizer se irá recandidatar-se. Faz bem. Ainda não é esse o tempo. Por vários motivos. Porque isso abriria um período de (pré) campanha eleitoral que tornava insustentável a sua ação política e porque um anúncio tão precoce reduziria a margem de manobra para obter apoios de outros partidos. Se do PSD e do CDS a adesão à sua recandidatura não será muito problemática, da parte do Partido Socialista tudo está ainda em aberto. E isso multiplica riscos.

Por estes dias, o PR tem andado ausente da política interna, apostando numa agenda internacional que o coloca longe das tricas partidárias. Sabendo gerir como poucos o tabuleiro político, Marcelo procurou neste tempo ignorar a (previsível) crise em que mergulhou a Direita e nem mesmo ao sábado as fontes não identificadas de Belém têm mandado recados pelo "Expresso" acerca das lideranças do PSD e do CDS. Silêncio absoluto. Porque Marcelo não quer arriscar nada.

O Governo é outra frente sensível. Marcelo irá, mais do que nunca, cuidar da relação com António Costa, porque dele sairá a decisão final sobre a posição do Partido Socialista nas próximas eleições presidenciais. "Pesos pesados" do PS já manifestaram vontade em ver o partido ao lado deste presidente, mas nada está fechado. Ainda esta semana alguns socialistas incitaram Ana Gomes a apresentar uma candidatura a Belém...

Para lá de gerir posições políticas, Marcelo Rebelo de Sousa irá concentra-se nos portugueses. Naqueles que considera os melhores do Mundo e que sempre encontraram nele uma espécie de elo de ligação de um país à procura de um futuro promissor. Este presidente das horas más estará mais presente do que nunca no chamado país real. Os jornalistas também não serão negligenciados. Marcelo sabe que grande parte da sua notoriedade se consolida através dos média.

Todavia há ainda uma pergunta por responder: Marcelo Rebelo de Sousa recandidata-se? Sim, a menos que surja um problema pessoal grave. Se não assumisse uma nova corrida a Belém, o atual PR já deveria ter dado indicações nesse sentido, porque um a eleição assim não se prepara em escassos meses. Portanto, o aquecimento para as presidenciais está já em marcha.

Prof. Associada com Agregação da U. Minho

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG