Opinião

Carta a um aluno do 1.º ano

Por esta altura, costumo escrever uma carta a um jovem universitário. Falo-lhe da importância de aprender para além daquilo que lhe é ensinado, lembro-lhe que não deve ser cúmplice das infames praxes e sublinho o valor dos colegas que conhecerá. Este ano, decidi escrever-te, a ti, que inicias agora o Primeiro Ciclo. Talvez não saibas ainda ler, mas estás a entrar numa nova e decisiva etapa do crescimento. Que recordarás para toda a vida.

O ano já começou há alguns dias com a compra do novo material escolar e com a aquisição dos livros. Tantos cadernos, tantos lápis de cor, tantos marcadores... Que sorte! Quando fui para a primeira classe, tinha um pálido estojo com um lápis, uma caneta, uma borracha, uma régua e um apara-lápis. Também tinha uma caixa com meia dúzia de lápis de cores. Pequeninos. Aí cabiam todos os meus sonhos que ambicionavam erguer um mundo novo, amparado num caderninho de desenho A5, de capa esmorecida. Agora, tudo é muito colorido e em tamanho grande. Há um universo para pintar e tu aí estás, bem equipado para essa tarefa. Aproveita bem tudo. Que bonitos são os manuais! Para Português, tens um livro de leituras, outro de exercícios e ainda outro de material de apoio. Para matemática também. E para o estudo do meio. Podes aprender tanto, tanto... Há uma imensidão de janelas que se abrem diante de ti. Deixa-te cativar por todas...

Também terás um(a) professor (a) novo. Será o primeiro de muitos que conhecerás pela vida fora. Com o tempo, perderás a memória de alguns, mas nunca esquecerás o/a professor(a) do primeiro ano. Que te ensinará tudo. A ler, a escrever, a fazer cálculos matemáticos, a conhecer o mundo e a ser uma pessoa equilibrada. Estará sempre na recordação que guardarás dos teus primeiros valores. Oxalá tenhas a sorte de encontrares um bom professor. Que saiba conduzir-te nas aprendizagens e seja capaz de abrir caminhos para uma sólida formação humana. Precisamos tanto de alunos de excelência no conhecimento e de inquebráveis valores humanistas...

Iniciarás também um novo calendário escolar. A tua mancha horária obrigar-te-á a passar a maior parte do dia na escola, mas, ao contrário do Ensino Pré-escolar, agora estarás ocupado com trabalhos a sério. Espero que os teus pais não cedam à tentação de te asfixiar com atividades extracurriculares. Se um adulto trabalha oito horas diariamente, será justo pedir igual esforço, ou talvez mais, a uma criança?

Terás também uma nova sala de aula. Com outras mesas e cadeiras mais adaptadas à tua altura. Como cresceste! À tua frente, estará sempre o teu professor. Segue-o com atenção. A aprendizagem será sempre um trabalho teu. E isso é fascinante. Nessa nova salinha, irás passear pelo mundo inteiro e conhecer tanta, tanta coisa... Cuida bem de tudo.

Ao teu lado, terás novos colegas com quem brincarás no recreio. Alguns ficarão teus amigos, mas entre todos deverá haver uma união inquebrável. Sejam leais, quebrem barreiras de todo o tipo, construam pontes... Uma turma nunca poderá ser um espaço de competição, mas de aprendizagem coletiva. Se todos forem muitos bons, cada um terá a oportunidade de ser melhor... Nunca esqueças disso. É uma lição para a vida. Junta-te a quem se deixa fascinar pelo conhecimento, pela criatividade, pela verdade, pela lealdade. Parecem variáveis muito diferentes. Não são. Estarão sempre presente naqueles que queremos ter por perto.

Agora vai. Pega na tua pasta cheia de material e livros escolares e vai à descoberta de um mundo novo. Agarra cada oportunidade de conhecimento, partilha aquilo de que mais gostares e constrói laços com quem está ao teu lado. Atrás de ti, terás sempre os teus pais; à tua espera, na sala de aula, estará o teu novo professor... Mas o caminho terá sempre de ser percorrido por ti. Só por ti. Pela vida fora.

*PROF. ASSOCIADA COM AGREGAÇÃO DA UMINHO