Opinião

#hajafé

Entra no metro, sai do metro, anda, anda, anda, anda, anda, anda, entra no metro, sai do metro.

Com os carris da Ponte Luís I fechados por causa das obras de reparação de um aparelho de dilatação, agora faço jogging forçado todos os dias. Há autocarros alternativos, mas enfrentar as filas de trânsito arrepia-me de tal forma que prefiro o exercício. Não sou sedentário - o sofá não está assim tão perto do frigorífico -, mas dispensava uma caminhada matinal e outra ao final do dia. A peregrinação junta gente apressada e turistas lentos. Nunca sei que passo hei de acompanhar, baralho-me. Resultado: chego sempre à estação quando o metro acabou de partir. A minha esperança é que a peregrinação resulte num milagre e que o prazo de 10 dias apontado para as obras seja cumprido. Pelo sim, pelo não, na próxima caminhada levo uma vela na mão.

*JORNALISTA