Opinião

#perspetiva

É tudo uma questão de perspetiva. Se eu for ao volante, insulto tudo o que é peão. Se andar a pé na rua, todos os condutores são bandidos. Se vir os prédios em construção junto à Ponte da Arrábida vindo da Foz, enervo-me com a obstrução do monumento. Se os vir do lado da Ribeira, não me aquece nem arrefece. Se os vir de frente, a partir de Gaia, nem desgosto. Se estiver em Nova Iorque, fico deslumbrado com tantos e tão imponentes arranha-céus. Se estiver no Porto, marco uma manifestação sempre que se quiser construir um edifício com mais de dois andares. Se morar em Campanhã - por muito "trendy" que venha a ser no futuro, por estes dias continua a ser a freguesia mais pobre do Porto - aplaudo todas as soluções que aumentem o transporte coletivo e até aceito (adiantava um grosso não aceitar) as alterações ao trânsito necessárias. Se morar na Avenida do Marechal Gomes da Costa, protesto contra o metrobus, que vai perturbar o meu automóvel. Já basta a desfaçatez de terem aberto um supermercado na "Marchal", ainda vão pôr mais povo a passar lá e com prioridade na estrada. Protesto e até consigo que mudem e desvirtuem o projeto. Porque, afinal, é tudo uma questão de perspetiva.

*Jornalista

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG