Opinião

#mentesã

A desistência da ginasta Simone Biles dos Jogos Olímpicos torna-se em si mesma uma grande chamada de atenção para a saúde mental, no desporto e não só.

Sair sem honras ao pescoço da competição maior por causa dos "demónios na cabeça", tal como a própria descreveu, é uma grande prova de amor-próprio, que acaba por ser também um alerta para os bastidores impregnados de exigências sem limite. É que dos males da cabeça ainda se fala pouco, porque são vistos como fraqueza, ou por vezes considerados, e mal, inferioridade intelectual. O episódio de Biles fez-me lembrar o de Monica Seles, esfaqueada aos 19 anos em pleno court de ténis. Do golpe físico sarou-se, não da depressão. Seria a melhor de sempre, não é? No desporto e fora dele, uma das maiores competições é manter a mente sã.

*Jornalista

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG