Opinião

A travessia de Greta Thunberg

A travessia de Greta Thunberg

Greta Thunberg chegou a Nova Iorque. Finalmente! Demorou 360 horas a percorrer um trajeto que, por via aérea, já se faz em oito, mas tudo bem, foram só 352 horas a mais... o que importa isso quando se está a salvar o planeta? Os ecologistas têm boas intenções mas em termos de salvamentos são muito demorados. Se algum dia tiver o infortúnio de estar a afogar-me em alto-mar, espero que a Greta não esteja por perto... Ela recusaria a mota de água como meio de transporte e ocupar-se-ia a recolher embalagens de plástico do oceano enquanto eu estrebuchava. Atenção, ao contrário do que possa parecer, eu admiro a Greta Thunberg. Dentro da sua categoria - "adolescentes" - é capaz de ser das mais astutas que conheço.

É certo que a concorrência não é grande, os seus pares estão mais entretidos a tentar atingir 10 mil seguidores no Instagram do que a reduzir a emissão de gases que agravam o efeito de estufa. É curioso que, optando por esta segunda via, Greta conseguiu ter mais sucesso nas redes sociais do que todos os seus colegas de escola. Só no Instagram, dois milhões e oitocentos mil seguidores. Embrulhem, malta do 10.0º C da Escola Secundária de Östermalm. Mas embrulhem com papel reciclado, claro. Falta esclarecer de onde vem a minha admiração por Greta. Não é a vontade que mostra de mudar o Mundo que me comove. É o facto de ter conseguido mudar a mãe e o pai. Toda a gente sabe que, na puberdade, mais do que o combate às alterações climáticas, importa o combate às ordens dos progenitores. E Greta obteve uma vitória em toda a linha. Vejamos: decidiu que os pais tinham de trocar o automóvel por um carro elétrico (eu nem sequer consegui convencer os meus a oferecerem-me uma Sega Mega Drive no Natal....), impôs que a família cultivasse os seus próprios vegetais e que se tornassem veganos. Inversão total de papéis: deixamos de ter um pai que obriga o filho a comer a sopa toda, para ter uma filha que obriga a mãe a comer só a sopa. Mãe essa que, aliás, já confidenciou que come queijo às escondidas, sem que Greta veja. Há, portanto, uma senhora adulta, algures na Suécia, que come às escondidas em sua própria casa, um alimento que a filha de 15 anos a proibiu de consumir. Digamos que a família de Greta tem feito muito pela sustentabilidade e muito pouco pela parentalidade responsável. Os feitos de Greta não ficam só por aqui, conseguiu inventar um estratagema para faltar à escola todas as semanas, com a greve semanal pelo clima - e logo à sexta, para colar com o fim de semana.

Desta nem o Pardal Henriques se lembrou, embora seja também um reconhecido ambientalista, que quer pôr os portugueses todos a andar a pé... Mas Greta é insaciável e ainda não estava satisfeita com a goleada que estava a dar aos encarregados de educação. Quis fazer mais um golo, nesse eterno dérbi pais-filhos e conseguiu. Um bonito pontapé de bicicleta: convenceu a mãe a deixar de andar de avião, o que a fez pôr termo à sua carreira internacional enquanto cantora de ópera... Depois, e para manter a coerência, quando disse aos pais que pretendia ir a Nova Iorque participar numa cimeira da ONU (antes isso do que querer ir para o Meo Sudoeste), não pôde ir simplesmente ao site da Scandinavian Airlines e ver qual o bilhete mais barato. Daí a arranjar um veleiro topo de gama emprestado, com tripulação e tudo, foi um pulinho. E o pai de Greta, que pensava que ia poder ficar em casa, sossegado, a debicar queijo brie com a mulher, enquanto a filha fazia esta espécie de circum-navegação, foi obrigado a ir também! Pobre homem. Pobre mas rodeado de ricos, como o comandante da embarcação, Pierre Casiraghi, neto do príncipe Rainier III do Mónaco... Quando pedriam a Greta uma sugestão para os comuns mortais que queiram viajar pelo Mundo, evitando os tão poluentes aviões, a pequena ativista defendeu-se, dizendo: "Eu não digo a ninguém o que devem fazer ou não. Sou uma das poucas pessoas no Mundo que podem fazer isto e penso que devo aproveitar essa oportunidade". Concordo, um convite desses não se recusa. Eu até um convite para andar no HippoTrip em Lisboa aceitava, quanto mais um para ir passear de veleiro até uma cimeira da ONU! No fundo, a sugestão de Greta é que nos comportemos todos como herdeiros de famílias reais, para reduzir a pegada ecológica. Parece-me bem. Eu alinho.

20 VALORES

Para Valeriu Argăseală, presidente do Steaua de Bucareste, que pôs a cabeça a prémio, garantindo que a cortava se o Vitória Sport Club marcasse um golo à sua equipa. E não é que os vimaranenses marcaram mesmo? Estes descendentes de D. Afonso Henriques adoram sangue. Descobrimos assim mais um presidente de clube que não cumpre as promessas que faz. Quantos anos faltarão para que a malta perceba que essas atoardas se viram sempre contra o feiticeiro? Já temos VAR, falta agora dotar alguns dirigentes de inteligência artificial.

* HUMORISTA

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG