Opinião

Casamenteiros de negócios

Casamenteiros de negócios

Foi seguindo a inspiração e o bom exemplo de sites de encontros pessoais como o Tinder - e mais recentemente até o Facebook - que também apareceram soluções tecnologicamente avançadas de "casamento", mas desta vez para negócios.

Como na vida amorosa, estas plataformas facilitam e tornam eficazes a identificação dos parceiros mais relevantes para cada negócio específico, mas, à semelhança do que também acontece na vida pessoal, é preciso ter um conhecimento prévio da realidade de cada uma das partes e das suas expectativas futuras.

É preciso conhecer forças, fraquezas necessidades e sonhos; e este conhecimento aprofundado é o fator mais importante para se conseguirem uniões estáveis e felizes sem perder tempo com namoros errados.

Juntar esta informação de forma consistente e facilmente acessível implica fazer boas perguntas e ter a capacidade de ouvir para além das respostas. É uma espécie de sacerdócio orientado aos negócios que poucos conseguem fazer.

Há três competências essenciais para ser um bom "casamenteiro". Primeira, ter uma grande rede (networking); segunda, ter intuição para "prever" as tendências em cada área (curadoria); terceira, ter bom conhecimento técnico de cada indústria específica (know- -how).

Encontrar uma equipa de profissionais que domine com maestria todas estas áreas é difícil, mas essencial para o sucesso dos negócios. É preciso juntar no mesmo grupo pessoas com áreas de formação complementares, mas que devem coincidir numa importante característica: ter uma ótima capacidade de comunicação.

É por isto que organizações como as Câmaras de Comércio, têm vantagens únicas para ser os melhores casamenteiros entre empreendedores e investidores. Já têm a rede, a equipa e o conhecimento. É um casamento perfeito.

PUB

*Especialista em Media Intelligence

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG