Opinião

O bodo aos pobres

Bem sei que o bónus dos transportes públicos faz muito jeito a muita gente. Gente honesta e trabalhadora que na sua maioria ganha mal e vive com dificuldades. A esses eu não peço que entendam o que vou escrever.

Pão e circo é do que o povo gosta e pão e circo é o que isto é. É um descarado bodo aos pobres.

Pão, porque esta medida tem grande impacto no bolso das pessoas, sendo para muitos o maior aumento de ordenado que tiveram em todas as suas vidas. A classe média baixa que vive nos arredores, trabalha no centro e não tem capacidade para ter carro, exulta de alegria. Circo porque esta é a medida eleitoralista mais cara da história e uma falsa boa ideia.

Falsa por três razões.

Primeira, porque na área metropolitana de Lisboa, que é onde 70% do bodo é gasto - e onde se decidem todas as eleições - só quem nunca andou de metro ou de autocarro à hora de ponta, é que pode achar que o atual sistema de transportes aguenta mais pessoas sem enormes investimentos.

Segunda, porque na Europa não foram os transportes públicos baratos que "deixaram" os carros em casa - foram as taxas aplicadas à circulação nos centros das cidades. Mas essa seria uma medida que ia custar muitos votos.

Terceira porque deixa os partidos de extrema esquerda, PCP e Bloc@ de Esquerd@, de novo, no centro da equação do poder, o que são péssimas notícias para a modernização do país.

Na prática, esta ideia do governo tem a bondade das políticas bolivarianas de Nicolas Maduro: custa dinheiro, deixa os que menos têm felizes, mas pobres à mesma; e obviamente não vai funcionar. Porque não combate nem a pobreza nem a exclusão e apenas oferece, a quem pouco pode, uma fugaz ilusão de felicidade.

*ESPECIALISTA EM MEDIA INTELLIGENCE

Imobusiness