Opinião

Sobre a violência doméstica

Sobre a violência doméstica

São chocantes e envergonham Portugal as notícias da morte de mulheres assassinadas pelos seus companheiros, maridos e namorados. Mas isso é apenas uma parte do problema, que, sendo muito grave e a mais visível, não é a maior.

O principal problema das mulheres na sociedade já não é a violência doméstica. A violência doméstica é um problema de atraso civilizacional, não é uma questão de igualdade. Quem, seja a Comunicação Social, sejam associações de diretos humanos, sejam políticos, se aproveitar dela para aumentar audiências e notoriedade, não está a prestar um bom serviço à causa das mulheres.

As mortes de mulheres por violência doméstica - crimes hediondos - não são um assunto relevante na luta que é preciso travar na sociedade pela igualdade e diversidade. São um assunto de direitos humanos, que se coloca noutro patamar. Quem confunde isso está a desfocar a sociedade do que é fundamental.

Combater a violência doméstica, por muito que nos custe admiti-lo, não resolve o problema de não haver mais mulheres a gerir grandes empresas e a contribuir com a sua qualidade para a construção uma sociedade melhor. Ao contrário! Desvia a opinião pública dessa necessidade.

A violência doméstica é a cortina de fumo perfeita para que o debate necessário não se trave. Porque é mais fácil para todos pensar que, antes de resolver o problema da integração total das mulheres na sociedade, seja preciso resolver o problema de comportamento que alguns bárbaros trogloditas - sejam agressores, sejam juízes - que a civilização ainda não fez o favor de visitar. Isso não é verdade nem boa ideia.

Meter os dois problemas no mesmo saco apenas faz com que a justa e necessária luta de todos (homens e mulheres) pela igualdade e diversidade baixe a um nível onde ela felizmente já não está.

Há uma luta contra o crime e outra pelo desenvolvimento da sociedade. Que não se confundam nem se deixem misturar.

*ESPECIALISTA EM MEDIA INTELLIGENCE

ver mais vídeos