Opinião

Obrigado Felipão!

Facto. Portugal está cheio de Brasileiros. E não é só em Lisboa. Nas universidades do Porto, Coimbra e em Évora, as comunidades de estudantes brasileiros são hoje as maiores. Para os filhos da classe média-alta brasileira estudar na Europa ganhou um novo destino: Portugal.

Mas não não são apenas os estudantes! Hoje vivem e trabalham em Portugal, homens e mulheres de negócios, empreendedores na área da tecnologia, investidores imobiliários e muitos aposentados que, por um motivo ou outro, acham que o Brasil não é mais o lugar certo para eles.

Apenas uma década atrás os brasileiros em Portugal eram completamente diferentes daqueles que podemos encontrar hoje. Antes, eram sobretudo gente de classe média baixa, procurando oportunidades numa terra que falava a mesma língua e onde, por isso, a adaptação seria fácil. Mesmo quem não tivera o privilégio de uma boa educação podia ter esperança numa vida melhor.

Faz apenas 10 anos que os brasileiros em Portugal era maioritariamente profissionais sem qualquer qualificação, pessoas simples, com poucos recursos e muita coragem. Hoje esses brasileiros ainda estão cá mas já não são a imagem de marca do Brasil em Portugal. Essa, nos últimos dois anos, mudou radicalmente.

Então porque é que de repente Portugal surgiu no radar dos Brasileiros com dinheiro, e agora já não são apenas empregados de mesa ou mulheres capazes de desafiar mães em Bragança, a aterrar na Portela? Por muitas razões que que falaremos um dia. Hoje falamos apenas da razão original.

É uma razão simples, redonda e tem um nome italiano: Scolari. Começou lá atrás, em 2003, mas só teve efeito muito tempo depois.

Felipão, sempre amado no Brasil, foi tão feliz em Portugal e falou tanto dessa felicidade que deixou o povo brasileiro a pensar. Pela primeira em muitas décadas - talvez mais de um século - alguém verdadeiramente famoso e amado no Brasil dava uma imagem muito positiva de Portugal .

Scolari disse uma vez, "Gosto de Portugal e me sinto mais português que muitos portugueses". Essa foi a primeira pedra da transformação que hoje, quase 15 anos depois, está a mudar para sempre a relação entre Portugal e o Brasil.

Obrigado Felipão!

Especialista em Media Intelligence