Opinião

"Medicina" tradicional chinesa? (1)

"Medicina" tradicional chinesa? (1)

"Um irmão de Rafael, jovem robusto, quando tratava de negócios na cidade de Arimino (hoje Rimini, Itália), foi atacado de febre. Tratado por qualquer forma pelos médicos, trouxeram-no a Ancona, onde, ao ser tratado, no mesmo dia em que bebeu uma purga enlouqueceu.

Chamado para o ver, no dia seguinte, consegui livrá-lo da febre com alguns remédios, embora a mania permanecesse. Para o livrar desta comecei pelo seguinte: xarope de maças, uma onça, de flor-de--orégão, de fumária, meia onça, de águas de borragem, de erva cidreira, uma onça. Clarifique-se e aromatize-se com espécies de letificante de Almançor. Simultaneamente, enquanto bebia os xaropes, mandámos aplicar às veias hemorroidárias duas sanguessugas, pelo modo já dito e usado, alimentando-o com muito boas comidas...".

Enfim, não vou continuar a reproduzir a longa Cura 64 das Centúrias de Amato Lusitano, um êxito que incluiu ainda sangria abundante com escarificação e ventosas, irrigações, electuários e conservas restabelecedoras.

Era a Medicina tradicional ocidental do século XVI.

"Ao coração fazem mal peixes sem escamas, fumo, ar infecto, e todos os legumes não descascados. Comer muitos acrumina. Nabos, cebolas e tudo o que for cheio de ar e frito. A inchação, a tristeza, as preocupações e qualquer causa que provoque a síncope. Febre contínua e terçãs verdadeiras e todo o abcesso das vias respiratórias. Excesso de estudo e muita meditação, coito frequente. Tudo o que fizer mal ao baço faz mal ao coração. Tomar banho logo a seguir às refeições e beber vinho no banho. Excesso de vigílias, exagero na comida e na bebida, pegar em objectos pesados, trabalhos difíceis e todo o serviço intolerável e o que quer que faça a alma entristecer-se, porque o coração é o princípio da vida e o termo da morte".

Transcrevo este excerto da magnífica obra "Liber De Conservanda Sanitate", talvez o primeiro tratado de medicina preventiva, escrito por Pedro Hispano, um dos mais célebres médicos da sua época, único Papa português, com o nome de João XXI, que assim elencava os fatores de risco que fariam mal ao coração.

Era a Medicina tradicional ocidental do século XIII.

Desde então, a Medicina evoluiu muito, investigou, descobriu, abandonou o que não fazia efeito e adotou as intervenções e fármacos que provaram a sua eficácia por métodos científicos. A "tradição" não foi suficiente para continuar a tratar doentes com métodos ineficazes.

Espanta, por isso, que enquanto a China adota a Medicina ocidental, científica, alguns incensem e consigam transformar em lucrativo comércio, no Ocidente, alguns métodos não comprovados da "Medicina" tradicional chinesa, de há mil e mais anos, com produtos insuficientemente testados e controlados, além de potenciais efeitos secundários graves...

Não tem lógica nenhuma (voltarei ao tema).

BASTONÁRIO DA ORDEM DOS MÉDICOS

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG