Opinião

O AVC do quiroprático

O AVC do quiroprático

Uma revisão dos efeitos da manipulação/ajustamento da coluna, a característica do "tratamento" da quiropráxia, levanta sérias preocupações (Ernst. J R Soc Med, 2007; 100: 330).

Esta manipulação pode envolver um impulso de alta velocidade, frequentemente acompanhado de alguns estalos, segundo o qual as vértebras seriam reajustadas, no conceito (filosófico) da "subluxação da quiropráxia", mesmo que o contacto das superfícies articulares esteja intacto (Portaria 207-D/2014)!

A evidência dos ensaios clínicos randomizados quanto aos alegados benefícios da quiropráxia permanece contraditória e não convincente. Para condições além da dor lombar, não há boa evidência da efetividade da manipulação da coluna.

Pelo contrário, muitos autores têm manifestado dúvidas sobre a segurança da manipulação cervical. O risco de um acidente vascular cerebral (AVC) após manipulações da coluna por quiropráticos está bem documentado (Haldeman. Spine 2002; 27: 49 / Rothwell. Stroke 2001; 32: 1054 / Church. Cureus, 2016; 8(2): e498), apesar de incrivelmente desvalorizado pelos próprios (Whedon. J Manipulative Physiol Ther, 2015; 38: 93).

A morte recente de Katie May aos 34 anos, a "rainha do Snapchat", e o caso de Kevin Sorbo, ator que desempenhou o papel de Hércules, ambos jovens vítimas de um AVC depois de manipulação quiroprática do pescoço, são mais sinais de alerta.

Para além do risco de fraturas vertebrais e outras complicações, o problema mais sério da quiropráxia é o AVC por dissecção da artéria vertebral, na zona da articulação atlantoaxial, devido à técnica da violenta manipulação cervical rotacional. Possivelmente ocorrerá em pessoas com uma predisposição anatómica, indetetável antecipadamente.

Por conseguinte:

1 - A Direção-geral da Saúde tem o dever de impor a obrigatoriedade de um consentimento informado escrito (Lehman. Chiropr Med, 2008; 7 (3): 107), com descrição da alegada fundamentação e da discutível relação risco/benefício da quiropráxia.

2 - Deve ser instituído um sistema de vigilância epidemiológica das complicações da quiropráxia e os médicos devem reportar às autoridades todos os casos de AVC pós-manipulação cervical.

3 - Os doentes que sofram efeitos adversos graves na sequência de manipulações da coluna devem apresentar participação às autoridades de saúde e podem exigir as competentes indemnizações a que têm direito, designadamente no caso de inexistência do documento de consentimento informado.

Como recomendam a American Heart Association e a American Stroke Association, os doentes devem recorrer a um serviço de urgência caso, a seguir a uma manipulação ou trauma do pescoço, desenvolvam sintomas neurológicos como dor agravada, tonturas ou vertigem, náuseas ou vómitos, visão dupla, dificuldade na marcha, voz arrastada ou movimentos anormais dos olhos.

* BASTONÁRIO DA ORDEM DOS MÉDICOS

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG