Opinião

Acabar com os ricos ou enriquecer os pobres?

Acabar com os ricos ou enriquecer os pobres?

Esta semana, em Nova Iorque, o Metropolitan Museum of Art voltou às luzes da ribalta com o seu famoso e exclusivo evento Met Gala. Várias celebridades americanas e internacionais, entre músicos, atores e políticos desfilaram glamour, presença e influência na passadeira vermelha. O objetivo, esse, foi, como sempre, angariação de fundos. Estes momentos são, por norma, de grande frenesim mediático, não só pelas personalidades que participam, mas também pelos outfits, pelos designers e sobretudo pelas mensagens que se veiculam por via da moda.

Alexandria Ocasio-Cortez (AOC), jovem representante democrata no Congresso, política da ala mais à esquerda do Partido Democrata, deu nas vistas com um vestido branco, com a inscrição "Tax the Rich". Estes eventos são a plataforma ideal para marcar agendas e fazer statements políticos e AOC aproveitou esse espaço para uma mensagem fortíssima que suscita a atenção, a luta entre "classes" e a busca por igualdade numa sociedade com as suas especificidades, mas profundamente desigual. Não querendo deixar quaisquer dúvidas, demarco-me vincadamente do ideário político de AOC e em particular do populismo com que faz política. Por outro lado, não é possível ignorar que o fosso entre ricos e pobres nos EUA é preocupante e diferente da realidade europeia.

Parece-me relevante refletir sobre a consequência que estas ações mediáticas (e em certas ocasiões populistas) têm no problema de fundo: o combate à pobreza. Um pouco por todo o Mundo vivemos tempos de grande polarização e Portugal não vive à margem desta polarização. Pensemos nas recentes batalhas políticas contra a existência de certos partidos, ou no discurso identitário que partidos radicais adotam cegamente. Tudo isso servirá que propósito? O da melhoria das condições de vida, da igualdade de oportunidades, da mobilidade social? Será através das mensagens políticas em galas com entradas na ordem das dezenas de milhares de euros que mudamos alguma coisa, ou será a melhor forma de garantirem que tudo fica na mesma?

AOC fez manchetes com a sua ousadia de crítica aos mais ricos, mas o seu partido, cuja base eleitoral mudou nos últimos anos, é também composto por pessoas com mais qualificações e recursos (ricos), não está particularmente confortável com um aumento de impostos. Questiono-me, por isso, se esta "luta de classes" e a tensão permanente em que a sociedade vive se perpetuarão no tempo, mas preocupa-me mais que sejamos incapazes de identificar e acordar soluções para uma sociedade de facto mais justa e que perceba que a riqueza no Mundo aumenta fundamentalmente pela produtividade e não pela sua (necessária) redistribuição.

Eurodeputada do PSD

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG